Cerveira

Mergulhadores voltam a poço com 27 metros de profundidade

Mergulhadores voltam a poço com 27 metros de profundidade

As operações no rio Minho para encontrar o triatleta de Barcelos, com 23 anos, desaparecido desde domingo, vão continuar na quarta-feira, com novos mergulhos num poço com 27 metros de profundidade.

Após dois dias de buscas intensivas e infrutíferas, os trabalhos recomeçam às oito horas. Para encontrar o corpo do jovem, que foi visto pela última vez na água quando participava numa prova de triatlo em Vila Nova de Cerveira, foram empenhados todos os meios aéreos, terrestres e aquáticos disponíveis, num total de 50 a 60 efetivos.

As marinhas de Portugal e Espanha disponibilizaram dois sonares que sondaram o fundo do rio na zona onde o atleta desapareceu, próxima de "um poço com 27 metros de profundidade", no percurso efetuado pelos atletas e também na área envolvente, até 500 metros a montante. Mergulhadores submergiram várias vezes nas últimas 48 horas, na maré baixa, para despistar todos os locais onde se suspeitava que o corpo pudesse estar. Pedro Cervaens Costa, comandante da Capitania do Porto de Caminha, que partilha a coordenação das operações com a Comandancia Naval del Miño, afirmou ontem que os mergulhadores vão voltar ao poço, uma vez que as fortes correntes podem atirar o corpo para aquela zona.

Participaram no Triatlo da Amizade 176 atletas. Segundo responsáveis da associação de cicloturismo Pedal"arte, que apoiou a organização a cargo das federações de Triatlo de Portugal e Galega de Triatlon e Péntatlon Moderno, na segurança da prova estiveram envolvidos "quatro caiaques e três embarcações a motor".

Rafael Sá não usava fato de neoprene, que garante maior flutuabilidade, na altura do desaparecimento, mas não era obrigatório.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG