Premium

Lampreia no Minho: "Se for como no ano passado, já não é muito mau"

Lampreia no Minho: "Se for como no ano passado, já não é muito mau"

Napoleão Rodrigues, 69 anos de vida, pesca lampreia do rio Minho há 40. Queixa-se de escassez neste início de época. O "Jornal de Notícias" apanhou-o a sair para a faina em Vila Nova de Cerveira, na sua embarcação "Nossa Senhora de Lurdes".

Levava a esperança de não regressar de mãos vazias. "Já só peço uma para desenrascar um cliente no fim de semana", disse, referindo: "Fui várias vezes ao rio, mas isto aqui não dá nada. É uma lampreia de cada vez ou nenhuma. Ainda só apanhei cinco ou seis desde o início da época".

Na zona mais próxima da foz do rio Minho, entre Seixas e Caminha, labora a maioria das embarcações e ali fala-se em fartura. "Os primeiros sinais que temos tido neste mês, desde que começou a safra, denotam que há mais lampreia do que na mesma altura do ano passado", disse o comandante da Capitania do porto de Caminha, Pedro Cervaens, considerando que "a quantidade de água doce que este ano o rio apresenta poderá ter chamado a lampreia mais cedo ao rio". "Estes primeiros dias podem indicar que a safra pode ser boa, mas para já são apenas indicadores", ressalva.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG