Tradição

500 quilos de carne para 5000 comensais em Boticas

500 quilos de carne para 5000 comensais em Boticas

População de Couto de Dornelas oferece refeição para agradecer proteção de São Sebastião.

Na pequena aldeia de Vila Grande, na freguesia de Couto de Dornelas, Boticas, onde se contam pelos dedos das mãos as famílias residentes, há uma tradição secular que junta, a 20 de janeiro, mais de 5000 pessoas. A população improvisa, na rua principal da aldeia, uma bancada, com 900 metros de extensão, onde é colocada quase meia tonelada de carne, 100 quilos de arroz e pão para servir a quem visitar a localidade, uma forma de agradecer a proteção de São Sebastião.

"A tradição é antiga", confirmou o presidente da Junta, Paulo Sanches. Sabe-se apenas que teve início num ano de peste em que morreram animais e a produção agrícola foi escassa. "A comunidade pediu, por isso, proteção ao santo, prometendo que a cada ano, neste dia, faria uma festa de agradecimento, alimentando quem por lá passasse", disse. A tradição foi renovada em 1808, por altura das invasões francesas.

Durante a semana, a comissão de festas cozeu, em forno de lenha, cerca de 1200 broas. A carne do porco é cozinhada na véspera, à noite, em potes de ferro. Depois, é colocada em caldeiras de cobre, antes de ser servida. Entretanto, "coze-se o arroz na água da carne, para ganhar um gostinho especial", confirmou a cozinheira Georgina. O almoço é antecedido por uma missa, depois a comida é benzida pelo pároco, na Casa do Santo, "onde tudo acontece".

A festa atrai pessoas da região, mas também de todo o Norte. Joana Macedo, de Guimarães, assistiu pela primeira vez. Considera que a comida confecionada de forma tradicional "tem outro sabor". Dionísio Moleiro, outro comensal, é da freguesia de Dornelas mas está emigrado há mais de 40 anos. Tira férias nesta altura para participar na festa de Vila Grande. São tradições que, segundo o autarca local, Fernando Queiroga, "preservam o saber e o sabor do Barroso".

ver mais vídeos