Chaves

Ponte romana de Chaves vai manter-se pedonal

Ponte romana de Chaves vai manter-se pedonal

A milenar ponte romana de Chaves vai manter-se pedonal. No referendo local, realizado este domingo, 4.440 (85,37%) dos 5.250 votantes disseram não à possibilidade de a travessia sobre o rio Tâmega voltar a ter trânsito automóvel num único sentido. Apenas 769 eleitores (14,79%) votaram sim. Registaram-se ainda 35 votos nulos e 14 em branco.

Apenas foram às urnas 12,07% dos 43.480 eleitores do concelho. Ou seja, uma abstenção de 87,93%. Para haver alguma hipótese de voltar a haver trânsito automóvel na ponte teriam de votar mais de metade dos inscritos e o sim sair vencedor.

O referendo local pretendeu acabar com uma polémica que tem reacendido em todas as campanhas eleitorais, desde que a ponte romana com quase dois mil anos foi vedada à circulação automóvel.

Em 2017, o assunto voltou à baila nas Eleições Autárquicas. Nuno Vaz, candidato socialista à presidência da câmara flaviense, que saiu vencedor no sufrágio, entendeu que "deviam ser os cidadãos a pronunciarem-se sobre esta matéria". Agora espera que o assunto fique "fechado em definitivo".

A Câmara de Chaves publicou no seu sítio na Internet o relatório técnico de uma inspeção à ponte romana realizada pela empresa Betar Consultores. Adianta que "a inspeção visual não revelou a existência de anomalias que comprometam a sua capacidade resistente".

Porém, exclusivamente do ponto de vista estrutural, refere que "a utilização atual [pedonal] é a ideal visto que não existem sobrecargas significativas sobre a estrutura nem outros efeitos colaterais associados à passagem de tráfego, tal como vibrações e forças horizontais associadas à travagem dos veículos em cima da plataforma".

A ponte romana de Chaves foi concluída no tempo do Imperador Trajano, entre o fim do século I e o princípio do século II d.C.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG