Peso da Régua

Pingo Doce fechado por funcionários reabriu com reforço de segurança

Pingo Doce fechado por funcionários reabriu com reforço de segurança

A loja do Pingo Doce em Peso da Régua reabriu com um reforço de segurança depois de os funcionários se terem recusado a trabalhar, esta segunda-feira, após vários episódios de desacatos.

Fonte do grupo a que pertence a superfície comercial garantiu que a empresa se solidariza com as preocupações dos trabalhadores e avançou com um reforço da segurança. A loja reabriu perto da hora de almoço, depois de ter estado encerrada durante a manhã.
Os funcionários recusaram-se a trabalhar, esta segunda-feira, devido a uma alegada falta de condições da loja.

No domingo, um homem de 59 anos foi detido e um militar da GNR ficou ferido na sequência de distúrbios na zona do estacionamento da loja

Um dos funcionários da loja disse ao JN que "são recorrentes os desacatos causados por clientes de etnia cigana e a loja tem apenas um vigilante que obviamente não consegue fazer frente a este tipo de situações".

Ao final da tarde deste domingo, vários indivíduos da mesma família desentenderam-se com um funcionário da loja "devido à propriedade de uma ave exótica". Segundo fonte da GNR, os militares foram chamados ao local, por volta das 20 horas, devido a desacatos que envolveram cerca de 20 pessoas.

"Houve necessidade de pedir reforço porque rapidamente se juntaram vários indivíduos no local", acrescentou a fonte. Durante os desacatos, as portas do espaço comercial foram forçadas, causando estragos nas mesmas.

"Infelizmente, estas situações acontecem com alguma regularidade. Somos ameaçados, injuriados e maltratados por estes clientes. Sentimo-nos impotentes porque a qualquer instante pode acontecer algo mais grave", acrescentou o funcionário.