Emergência

 Proteção Civil espera ter fogo dominado em Valpaços sábado de manhã

 Proteção Civil espera ter fogo dominado em Valpaços sábado de manhã

O 2.º comandante operacional distrital de Vila Real disse esta sexta-feira que espera ter o incêndio de Valpaços, ativo desde as 13:36 de sexta-feira, dominado de manhã, referindo não existirem aldeias em risco.

Em declarações aos jornalistas, na freguesia de Ervões, Valpaços, distrito de Vila Real, onde está instalado o centro móvel de operações, Borges Machado afirmou que o ideal seria controlar o fogo durante a noite, mas o vento forte está a ser um "grande obstáculo" e a dificultar os trabalhos.

A acrescentar ao vento, o responsável da Proteção Civil referiu a escassez de pontos de água no concelho como outra das dificuldades, adiantando que os meios aéreos demoravam muito tempo entre ir buscar e descarregar água.

Falando num incêndio "complicado", Borges Machado referiu que o fogo está a ceder aos meios de combate, mas não na sua totalidade.

Com três frentes ativas, depois de já ter tido quatro, o 2.º comandante contou que duas delas estão a ceder, estando uma delas mais de 80% dominada, e a outra a causar muitas preocupações porque entrou numa linha de água e é de difícil acesso.

"São muitas localidades que estão em volta deste incêndio, foi um incêndio de vento. Na verdade, andamos sempre a correr atrás dele para socorrer as pessoas, porque primeiro estão as pessoas e só depois os bens", frisou.

O comandante explicou que "por precaução" retiraram, durante a tarde, 16 pessoas de uma localidade e oito de outra, tendo estas já regressado depois de se considerar não haver riscos.

Entre estas, apenas dois idosos acamados, que haviam sido retirados pela Cruz Vermelha Portuguesa, vão pernoitar num lar.

Por agora não há aldeias em risco, adiantou, numa declaração pelas 23.30 horas de sexta-feira.

Em termos de danos materiais, sem conseguir para já avançar com uma estimativa da área ardida, Borges Machado salientou terem ardido três casas devolutas e uma quarta sofreu "danos parciais".

O 2.º comandante distrital recordou que Valpaços estava em "risco máximo", motivo pela qual havia já uma brigada de reforço localizada no concelho.

Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o fogo estava, pelas 00.55 horas, a ser combatido por 412 bombeiros apoiados por 127 viaturas.

Durante a tarde de sexta-feira, o combate às chamas envolveu seis meios aéreos.

Autarca de Valpaços reivindica construção de reservatório de água

O presidente da Câmara de Valpaços disse ter ficado provada a falta de um reservatório de água no concelho, depois de constatada a escassez de pontos de água no combate ao incêndio que deflagra desde sexta-feira no município.

"Sabemos das dificuldades que há no concelho de Valpaços, tanto assim, que tenho vindo a reivindicar um pequeno reservatório de água que serviria para o setor agrícola, mas também para proteger as populações", afirmou Amílcar Almeida.