Vila Real

Alunos do secundário recriaram tabela periódica humana

Alunos do secundário recriaram tabela periódica humana

O Oxigénio, o Carbono, o Ferro e o Chumbo foram alguns dos elementos químicos que ganharam vida, esta terça-feira, em Vila Real. Ao todo, 118 alunos das escolas secundárias recriaram uma tabela periódica humana para celebrar os 150 anos da criação de uma das mais importantes ferramentas científicas.

Maria João Vilela, aluna do 11º ano da Escola Secundária Camilo Castelo Branco ocupou a posição 109 na tabela periódica humana, que corresponde ao Meitnério, que tem como símbolo o "Mt". "Sei que é um metal de transição, mas são muitos elementos químicos. É quase impossível conhecê-los a todos, admitiu.

Para a estudante, a tabela periódica "ajuda a perceber melhor as reações químicas e o mundo em si, porque tudo aquilo que se conhece está relacionado com reações químicas".

A docente do Departamento de Química da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Cristina Marques, assegura que "não há nenhum químico ou cientista que não tenha de recorrer à tabela periódica". A professora explica que esta "consiste na organização sistemática de 118 elementos químicos, cujos átomos dão origem a todos os materiais que temos à nossa volta".

Cristina Marques afirma que "a Química não é uma disciplina fácil, desde já, pelos seus conceitos de natureza abstrata". No entanto, revela que "a sua compreensão é fundamental para a resolução de muitos problemas, em colaboração com outras áreas do conhecimento científico".

A iniciativa marcou o início das comemorações do Ano Internacional da Tabela Periódica e foi organizada pelo Departamento de Química da UTAD, em parceria com as secundárias