Vila Real

O mistério do motorista que desapareceu na A4 há quase cinco meses

O mistério do motorista que desapareceu na A4 há quase cinco meses

A família de Ângelo Fernandes, motorista de pesados desaparecido após um acidente na A4, perto de Murça, em fevereiro, lançou novo apelo para conseguir informações sobre o seu paradeiro. Sérgio Fernandes, irmão do motorista, disse ao JN que a família "confia no trabalho das autoridades", mas pede a colaboração de quem possa ter informações sobre o paradeiro de Ângelo.

A 18 de fevereiro, o camião sofreu um despiste e ficou imobilizado numa escapatória da A4, no sentido Vila Real-Bragança. O homem foi visto a sair combalido do veículo, em direção ao monte, mas nunca mais deu notícias. A cabina estava revirada e havia sinais de vómito junto à porta do pendura. Os telemóveis da vítima ficaram no camião e não há registo de movimentos nas contas bancárias.

Ângelo Fernandes tinha carregado o camião no Porto e seguia em direção a Barcelona, Espanha. Depois de se despistar, a viatura ficou tombada na escapatória. Na altura, fonte da transportadora proprietária do pesado disse ao JN que Ângelo Fernandes "sempre foi um funcionário responsável".

"A cabina estava revirada e parecia ter sido assaltada, mas não sabemos o que se passou", esclareceu a fonte.

A GNR fez buscas com recurso a equipas cinotécnicas nas imediações onde o camião ficou imobilizado e nas aldeias mais próximas, mas não encontrou sinais do homem, nem indícios de que tivesse ficado ferido na sequência do acidente.