Coronavírus

Mais 25 infetados com Covid-19 em lar de Vila Real. São 45 no total

Mais 25 infetados com Covid-19 em lar de Vila Real. São 45 no total

Depois de 13 utentes e sete funcionários terem dado positivo para Covid-19, foram realizados na quarta-feira mais 75 testes aos residentes e colaboradores desta instituição particular de solidariedade social.

Deram positivo 25 de 29 testes realizados quarta-feira, no Lar de Nossa Senhora das Dores, em Vila Real, onde já tinham sido confirmados 20 casos de Covid-19 (13 utentes e sete funcionários).

Os resultados dos restastes 50 testes efetuados pelo INEM ainda não chegaram. A evacuação do estabelecimento poderá começar ainda esta quinta-feira, para que amanhã possa ser desinfetado pelo Exército português.

"As notícias não são boas", começou por anunciar, esta noite, o presidente da Câmara Municipal de Vila Real, Rui Santos, para logo lamentar, citando o título de um filme, "Este país não é para velhos". "Isto aplica-se ao momento que hoje vivemos em Portugal", sublinhou.

O autarca ressalvou que, até agora, são apenas conhecidos "29 dos 75 testes e, desses, 25 deram positivo".

"Estranhamente, só passado 25 horas é que obtivemos os primeiros números e os números são assustadores. Em 29 testes, 25 deram positivo. Em 29, 25 pessoas dentro deste lar estão infetadas. Faltam ainda os restantes testes e se a proporção se mantiver significará que cerca de 60 a 70 pessoas estão infetadas. Esta é uma situação que se prolonga há alguns dias", afirmou o autarca.

Durante a manhã de quarta-feira foram levados para o Hospital Militar do Porto 11 utentes com Covid-19 enquanto outros dois ficaram no Hospital de Vila Real. Sete trabalhadores da instituição, por não terem apresentado sintomas graves, foram para casa cumprir isolamento profilático.

A situação revelada esta noite, "implica uma ação rápida que permita que, sobretudo os utentes, possam ser deslocalizados, rapidamente, para o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro ou uma infraestrutura que o Ministério da Saúde julgue adequada". Para os que não estão infetados, Rui Santos garante que já há solução. "Vão para um hospital militar em Braga".

O autarca lamenta "profundamente" que, depois de se saber dos primeiros 20 casos, "não tenham sido priorizados os testes deste lar, destas pessoas, algumas com 90 anos, em detrimento, provavelmente, de pessoas mais novas, cujo perigo de perderem a vida é muito mais reduzido". Por isso, entende que "está na altura de quem tem responsabilidades nas áreas da Saúde e da Segurança Social as assumir".

Rui Santos espera que as pessoas que estão no lar possam ser retiradas rapidamente. Esta quinta-feira à tarde continuavam dentro da instituição 58 utentes e nove funcionários. Quarta-feira à noite, outros oito colaboradores foram substituídos por três elementos da Cruz Vermelha, dois geriatras, uma psicóloga e seis militares do Exército, um deles enfermeiro.

"Estas pessoas estão exaustas, são uns verdadeiros heróis, e a tranquilidade das famílias começa a ser posta em causa", realçou o presidente da Câmara de Vila Real. Agora espera pela chegada, ainda durante esta noite, dos resultados dos restantes testes, para perceber a "dimensão da logística que envolverá a retirada das pessoas do lar".

Estava previsto que a evacuação do estabelecimento pudesse começar ainda esta quinta-feira, para que na sexta pudesse ser desinfetado pelo Exército português.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as meia-noite de quinta-feira e até às 23.59 horas de 2 de abril e esta quinta-feira registava 60 mortes e 3.544 infeções associadas à Covid-19, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG