Incêndios

Piloto morto a combater incêndio tinha vasta experiência de voo

Piloto morto a combater incêndio tinha vasta experiência de voo

Um helicóptero que combatia um incêndio no concelho de Castro Daire, distrito de Viseu, caiu este domingo. O piloto e único tripulante da aeronave morreu.

O piloto, Américo Sousa, natural do Porto, tinha 51 anos e muita experiência de voo e, em particular, no combate a incêndios, afirmou fonte da Everjets, proprietária do helicóptero, confirmando a notícia da morte.

Segundo o comandante operacional da Autoridade Nacional da Proteção Civil, Rui Esteves, o helicóptero foi acionado para combater o incêndio em Cabril, Castro Daire, às 11.45 horas. Levantou voo de Armamar às 11.52 horas e chegou ao local das operações às 12.11 horas, onde efetuou duas descargas de água. Após embater em cabos de alta tensão, o helicóptero bateu no solo e incendiou-se. Eram 12.25 horas.

A mesma fonte da Everjets explicou ao JN que o embate em cabos de alta tensão é um dos riscos associados à pilotagem de combate a incêndios, devido aos voos de baixa altitude, e uma das causas mais frequentes de acidentes.

A companhia anunciou, em comunicado, a abertura de um inquérito às causas do acidente.

Este fogo começou às 13.07 horas de quinta-feira e apenas hoje foi considerado dominado. No terreno mantêm-se quase 100 bombeiros e 21 viaturas.

Presidente da República expressa condolências

"O presidente Marcelo Rebelo de Sousa lamenta profundamente o falecimento de piloto do helicóptero caído em Cabril, uma nova vítima destes terríveis incêndios que têm martirizado o nosso país", lê-se na nota publicada no sítio da internet da Presidência da República. O chefe de Estado apresenta "as mais sentidas condolências à família enlutada", declara o Palácio de Belém.

Também a ministra da Administração Interna expressou condolências e afirmou que o Governo apoiará a família: "O Governo disponibilizará todo o apoio necessário à família do piloto que hoje perdeu a vida em mais uma missão de combate aos incêndios florestais, numa atitude de coragem, profissionalismo e abnegação, a qual nos merece o maior respeito e admiração", afirmou Constança Urbano de Sousa.