Cinfães

Autarca avisa a ministra que a falta de consultas presenciais "não pode continuar"

Autarca avisa a ministra que a falta de consultas presenciais "não pode continuar"

O presidente da Câmara Municipal de Cinfães exige uma solução para o problema dos cuidados de saúde primários.

Em carta dirigida à ministra da Saúde, ao presidente da ARSNorte e à diretora executiva do ACES Baixo Tâmega, o autarca refere que "a falta de consultas presenciais, a falta de rastreios oncológicos, de consultas de saúde materna, saúde infantil e saúde da mulher não pode continuar".

"Aguardo uma resposta para saber as medidas imediatas, mas também a médio e longo prazo para resolver definitivamente o problema, assim como indicação da reorganização que pretendem realizar para que os cinfanenses tenham acesso a consultas presenciais de imediato", escreve Armando Mourisco, formado em enfermagem.

A preocupação está relacionada com a falta de médicos de família no concelho cinfanense.

As Extensões de Saúde de Souselo e de Piães debatem-se com a carência de profissionais médicos, situação que se arrasta há algum tempo e que, atualmente, tem ausentes uma médica em Souselo por licença de maternidade, uma em Piães por gravidez de risco outra ausente em Piães por isolamento profilático.

Para fazer face a esta situação foi criado um modelo provisório, com a criação de duas linhas telefónicas, que são atendidas por profissionais da autarquia, servindo de apoio aos utentes e ligação com os serviços da UCSP Cinfães.

Mas, a "agravar a situação vivida" em Souselo e Piães, recentemente, na Extensão de Saúde de Nespereira, "onde à data a Câmara está a investir cerca de 330 mil euros para a requalificação desta unidade", sublinha, "foi aposentado um médico de família deixando a descoberto mais cerca de 2 mil utentes". O autarca termina a carta dirigida a Marta Temido dizendo-se "como até aqui, disponível para fazer parte da solução, sempre em defesa de todos os Cinfanenses", conclui.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG