O Jogo ao Vivo

Mangualde

Padre recusa missa em funeral de bebé não batizado

Padre recusa missa em funeral de bebé não batizado

Os pais de um bebé com 13 dias, que faleceu na passada segunda-feira, em Casal de Cima, Mangualde, acusam o pároco de Santiago de Cassurrães, em Mangualde, de se recusar a celebrar a missa de corpo presente à criança.

Ao tratarem o funeral, nem queriam acreditar: "Primeiro, o padre Celestino não autorizou que o corpo fosse levado para a capela de Casal de Cima, pois o bebé não era batizado", conta Mónica.

No centro de saúde foram dadas as palavras batismais, mas o padre terá continuado a dizer que não celebrava missa. Sugeriu então que levassem o corpo para a igreja de Santiago de Cassurrães, mas que "só faria o acompanhamento até ao cemitério se lhe apetecesse", recorda o pai.

A tia da criança, Lucília Santos, contactou o bispo de Viseu que, através do secretário, informou que não era de lei rezar a missa a um recém-nascido, não podendo, por isso, obrigar o padre. Sugeriu que encontrassem um padre disponível para o efeito. O padre Lino, de Gandufe (Mangualde) aceitou, mas a funerária fez saber que não havia autorização para a missa.

Lucília Santos, que tentou convencer o pároco de Santiago de Cassurrães a mudar de ideias, diz ter sido insultada por este. "Chamou-me ignorante, disse-me para não o chatear e perguntou-me quantos copos já tinha bebido", relata a tia da criança.

O corpo de Martim foi levado desde a capela de Casal de Cima até à igreja de Santiago, onde o padre Lino leu o responso e fez o acompanhamento até ao cemitério. O povo não gostou.

Pároco justifica situação

O pároco Celestino Ferreira, através de email, afirma que, apesar de ameaçado pelos tios da criança, combinou fazer o funeral e autorizou que o corpo fosse para Casal de Cima. "É habitual que, nestes casos, a criança seja trazida diretamente para a igreja", diz. E explica por que razão as crianças não batizadas não têm direito a funeral religioso: "Porque uma criança batizada, ao morrer, vai para o Céu e não precisa que rezem por ela. Se não foi batizada, a Santa Missa também não pode ajudá-la", acrescenta.

Diz ainda ter ficado "muito surpreendido" por ver outro sacerdote, enquanto ele aguardava para fazer as cerimónias.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG