Viseu

TC dá luz verde a Resende para avançar com o maior investimento em décadas

TC dá luz verde a Resende para avançar com o maior investimento em décadas

O Tribunal de Contas concedeu o visto prévio ao contrato da empreitada de Reabilitação e Reconversão Parcial do Edifício Termal de Caldas d'Aregos, infraestrutura que desde tempos medievais, é reconhecida para tratamentos de saúde e bem-estar.

O último investimento desta grandeza no concelho, foi há 24 anos, aquando da construção da ponte da Ermida, sobre o rio Douro, que liga Resende (distrito de Viseu) a Baião (distrito do Porto), sublinha Garcez Trindade, Presidente da Câmara Municipal de Resende.

A obra, adjudicada no valor de 5,776.605,12 euros, vai reabilitar o edifício termal de Caldas d'Aregos, modernizando a oferta termal atual, aumentando o número de valências funcionais e criando outros serviços complementares.

PUB

A intervenção traduz-se na reabilitação integral do edifício, redefinindo o seu programa base de tratamentos termais nas suas cinco tipologias (banhos, duches, vapores, O.R.L. e lamas), modernizando-os e aumentando a diversidade de tratamentos de cada grupo. Em complemento, será acrescentado o setor de bem-estar/SPA com um conjunto de valências capazes de atrair novos públicos.

O renovado empreendimento vai ter alojamento termal, através da criação de unidades individuais de diferentes tipologias, "aumentando o conforto dos utentes, proporcionando condições ao prolongamento da sua permanência e anulando o efeito da sazonalidade". Serão, ainda, criadas novas valências, como piscina exterior, sauna/banho turco, cosmética, espaços de apoio (sala de conferências, cafetaria e esplanada); terraços para estabelecer ligação direta com o Douro; parque exterior terapêutico com poças de água quente, equipamento de manutenção e anfiteatro ao ar livre.

Estância Termal do Douro

O presidente da Câmara de Resende fala em "obra muito importante para o concelho que vai permitir dar nova vida a Caldas de Aregos, transformando-a na Estância Termal do Douro e afirmando-a como um destino preferencial na área da saúde e bem-estar, aumentando a atratividade turística no concelho", refere.

Garcez Trindade contextualiza a importância deste investimento juntando-o "aos que estão a ser realizados" em Caldas de Aregos, nomeadamente as obras de requalificação urbana e as obras de melhoramento da mobilidade urbana sustentável, integrados nos programa do PARU e PAMUS do Portugal 2020, estando também previstos, futuramente, o aproveitamento geotérmico das águas quentes de Aregos, bem como o projeto das Águas Cálidas de Aregos, que ligará a Avenida das Tílias ao Balneário Termal, após a sua requalificação.

A empreitada é apoiada por fundos comunitários, através do PROVERE - Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos.

Além da localização estratégica na região do Douro, as Caldas de Aregos têm o seu melhor recurso a água natural mineral que, desde tempos medievais, é reconhecida para tratamentos de saúde e bem-estar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG