Governo

Marcelo vai a Tondela e o Governo está a acionar "todos os meios"

Marcelo vai a Tondela e o Governo está a acionar "todos os meios"

O primeiro-ministro já falou com o presidente da Câmara de Tondela sobre o incêndio numa associação em Vila Nova da Rainha, estando a ser acionados "todos os meios". O presidente da República vai a Tondela este domingo.

Numa nota publicada no site da Presidência, Belém informa que Marcelo Rebelo de Sousa vai a Tondela este domingo ao final da manhã, "depois de terminada a fase crítica da operação de socorro".

O presidente da República está a "acompanhar as informações sobre a nova tragédia que atingiu o concelho de Tondela, em Vila Nova da Rainha" e "expressa os seus sentidos sentimentos aos familiares das vítimas mortais e aos feridos".

Segundo fonte do executivo, o Governo está a acompanhar as consequências do incêndio e estão a ser acionados "todos os meios" dos serviços dos ministérios da Administração Interna, da Saúde e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Esta noite, estiveram no local o secretário de Estado da Proteção Civil José Artur Neves e o secretário de Estado Adjunto da Saúde, Fernando Araújo. O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanhará o presidente da República na sua deslocação ao local.

O incêndio ocorreu durante um jantar numa associação recreativa naquela localidade, causando pelo menos oito mortos e 36 feridos, entre graves e ligeiros, de acordo com o oficial de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) Paulo Santos.

Pelas 23 horas, estavam no local 173 operacionais, apoiados por 67 veículos e dois meios aéreos (um helicóptero do INEM e outro da Força Aérea que estão a fazer transporte de feridos para os hospitais).

O presidente da Câmara de Tondela, José António Jesus, considerou a situação "muito crítica".

"Há muitas vítimas a serem atendidas, algumas já transportadas para os hospitais. São várias dezenas de feridos. Felizmente, os meios foram acionados rapidamente, mas isto é quase uma situação de catástrofe", sublinhou o autarca.

Entretanto, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social ativou a Linha Nacional de Emergência Social através do número gratuito 144.