Ensino

Diretor de escola de Viseu castigado por criticar colegas

José Ricardo Ferreira

Adelino Azevedo Pinto dirige a maior escola do distrito de Viseu

Foto Global Imagens

Responsável pela maior Secundária de Viseu com pena suspensa por reagir a professores que se manifestavam

Adelino Azevedo Pinto, diretor da Secundária Alves Martins, a maior escola do distrito de Viseu, foi afastado de funções durante 30 dias, mas com pena suspensa, no seguimento de dois processos disciplinares instaurados em 2019, mas que ainda estão em fase de recurso, soube-se agora.

Um dos inquéritos movidos pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) foi aberto por Adelino Azevedo Pinto ter prestado declarações à Comunicação Social após um grupo de quatro professores ter acusado a direção do estabelecimento de ensino de "assédio moral".

Este caso remonta a 3 de dezembro de 2019, dia em que os docentes e o Sindicato de Todos os Professores realizaram um protesto à porta da escola, acusando o diretor de "trato diferente em relação a outros professores" da Secundária, conhecida pelos bons resultados, colocando anualmente duas dezenas de alunos nos cursos de Medicina.

Dois dos quatro profissionais presentes na manifestação estavam, à data, com processos disciplinares.

Numa resposta à imprensa, Adelino Azevedo Pinto revelou, no mesmo dia, que os docentes em causa tinham sido alvo de queixas por parte dos alunos e dos pais. "Não dão matéria e têm atitudes menos corretas dentro da sala de aulas. Tive inclusivamente uma aluna que mudou de escola", declarou na altura aos jornalistas.

Para a IGEC, o responsável "teve uma conduta gravemente negligente que atentou contra a dignidade e função" que ocupa ao dar "a conhecer matéria sigilosa e em investigação" sobre "alegados comportamentos reprováveis" dos docentes.

Já no outro processo, o diretor da Alves Martins foi acusado pela IGEC de "negligência e desconhecimento", por ter retirado a 8 de fevereiro de 2019 duas turmas a uma professora de Geografia, atribuindo-lhe depois um novo horário semanal, com aulas da manhã, à tarde e à noite às quartas-feiras.

Adelino Azevedo Pinto acabou suspenso disciplinarmente pela Inspeção-Geral da Educação e Ciência, por 30 dias, com pena acessória de cessação da comissão de serviço, sanções que foram suspensas na sua execução durante um ano.

O diretor da Alves Martins recorreu desta decisão para o Ministério da Educação e ainda aguarda resposta.

Contactado pelo JN, Adelino Azevedo Pinto não se quis alongar, referindo apenas que atuou para "defender a verdade dos factos e a escola".