Saúde 

Centro de ambulatório e radioterapia de Viseu é um "embuste", acusa deputado do PSD

Centro de ambulatório e radioterapia de Viseu é um "embuste", acusa deputado do PSD

O deputado do PSD no parlamento e na Assembleia Municipal de Viseu Pedro Alves defende que a construção do centro de ambulatório e radioterapia no Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV), anunciada pela administração da unidade de saúde, é mais um "embuste".

A obra está orçada em 24 milhões e euros e, segundo o presidente do hospital, Nuno Duarte, deve estar pronta em 2023.

A 31 de agosto, o CHTV garantia que o projeto estava pronto para ser apresentado uma candidatura aos fundos comunitários, encontrando-se ainda "em fase de conclusão o processo para lançamento do concurso público para a obra".

Pedro Alves tem dúvidas de que a empreitada avance. O deputado do PSD disse, esta sexta-feira, na Assembleia Municipal de Viseu, ter recebido do ministro das Finanças um documento onde são apontadas as obras estruturantes para o Governo até 2024 e onde não consta o centro de ambulatório e radioterapia da cidade. ​​​​​​

"Na área da saúde apontam-se lá sete obras estruturantes com despesa plurianual e não aparece lá nenhum centro de ambulatório, nenhuma unidade de radioterapia, nenhum centro oncológico, nenhum investimento para o Centro Hospitalar Tondela Viseu", declarou, falando num "verdadeiro embuste".

O social-democrata não poupou nas críticas ao presidente do Conselho de Administração do CHTV, que acusou de estar a fazer campanha para as autárquicas para o PS, "intoxicando a população com anúncios que não correspondem à verdade" e para os quais não tem competências.

Nuno Duarte recusou-se a comentar os ataques do PSD e garantiu desconhecer o documento do Ministério das Finanças referido por Pedro Alves.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG