Pela primeira vez, um grupo de ativistas realizou uma vigília junto a um matadouro do Funchal, na Madeira. A cidade é uma das 14 do país com um grupo da organização internacional "The Save Movement".

Animais

Ativistas realizam vigília em frente a matadouro do Funchal

Ativistas realizam vigília em frente a matadouro do Funchal

Yolanda Santos foi uma das oito ativistas que realizou a primeira vigília junto a um matadouro do Funchal, no dia 18 de março, para prestar a última homenagem aos animais que seguiam para abate.

"Pedimos aos condutores para parar com dois objetivos: olhar para os animais pela primeira vez sem serem um produto e mostrar às pessoas como eles são, para que criem empatia e não os vejam apenas como comida", explicou ao JN.

Em Portugal, há já 14 grupos, chamam-lhes capítulos, do movimento internacional "The Save Movement", que promovem a partilha nas redes sociais de vigílias como esta. Na ilha de São Miguel, nos Açores, o grupo foi criado em janeiro.

No Funchal, além da vigília, os ativistas realizaram ações de rua e debates que visam a indústria agropecuária e pretendem convencer a população a excluir os animais do prato.