O acesso ao centro de vacinação contra a covid na Escola António Aroso, no Porto, está a suscitar críticas. Os degraus no exterior, à entrada, e a avaria da cadeira elevatória estão na base da polémica.

Covid-19

Degraus dificultam acesso dos idosos ao centro de vacinação no Porto

Degraus dificultam acesso dos idosos ao centro de vacinação no Porto

Têm que ser os seguranças a transportar nos braços quem chega de cadeira de rodas e a servir de auxílio às restantes pessoas com mobilidade reduzida, sabendo-se que, nesta fase, a maioria dos utentes a vacinar tem mais de 80 anos. A escada elevatória está avariada desde quinta-feira e aguarda reparação.

Ao JN, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) adiantou que "está prevista para breve a construção de uma rampa". A coordenadora do centro, Conceição Guimarães, acrescentou que o objetivo é possibilitar que os carros subam, deixando as pessoas junto à porta do posto.

Atraso na entrega

Sobre obras, a Câmara do Porto esclarece que "o edifício foi cedido a título de comodato por meio ano ao ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) do Porto Ocidental/ARSN para diversos serviços do ACES" , que "se responsabilizaram por desenvolver as obras necessárias para as valências a implementar, o que fizeram, incluindo a instalação de uma placa elevatória".

É adiantado que "há cerca de duas semanas o ACES pediu autorização para alterar a função e utilizar o edifício como centro de vacinação, o que foi autorizado". Quanto "à questão das condições de acessibilidade e adaptação das mesmas ao atual uso do equipamento", é dito que "deverá a mesma ser dirigida à ARSN, responsável pelo desenvolvimento das necessárias obras".

Ontem, ao início da tarde, os utentes também se queixaram do tempo de espera, tendo a ARS Norte explicado que a demora deveu-se "ao facto da entrega de vacinas no centro ter ocorrido com ligeiro atraso".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG