Não pára a onda de solidariedade para com Cristina Tavares, a trabalhadora alvo de assédio moral, despedida pela corticeira Fernando Couto S.A. de Paços de Brandão.

Assédio moral

Artistas criam "onda solidária" para trabalhadora Cristina Tavares

Artistas criam "onda solidária" para trabalhadora Cristina Tavares

Não pára a onda de solidariedade para com Cristina Tavares, a trabalhadora alvo de assédio moral, despedida pela corticeira Fernando Couto S.A. de Paços de Brandão.

Samuel, Tim, Ana Lains, Hélder Moutinho, Canto D´Aqui e Rogério Charraz, são alguns dos artistas que irão estar presentes num espetáculo solidário a realizar, esta sexta-feira, em Mozelos, Feira.

Depois das artistas ligadas ao teatro terem vindo a público mostrar a sua solidariedade para com Cristina Tavares, também os músicos se juntaram a esta causa.

Para além dos nomes já mencionados, haverá, ainda, mensagens de apoio de interpretes como Capicua, Jorge Palma, Vitorino, Janita Salomé e Sérgio Godinho.

"Cristina a sua luta é a luta de muitos injustiçados no nosso país e noutros lugares. Quando por vezes se sentiu só, desamparada e com vontade de desistir, graças à violência absurda a que foi sujeita, talvez tenha ouvido ao longe uma voz que a fez continuar e resistir. Essa voz é de todos nós, estamos consigo", disse Sérgio Godinho.

Também Jorge Palma deixou a sua mensagem. "O caso de Cristina Tavares é mais uma prova flagrante da prática de grandes injustiças laborais e sociais. Só que a Cristina não se deixou ficar de braços cruzados, foi à luta e ao faze-lo já ganhou, dando um grande exemplo de dignidade e coragem", disse o cantor que deixou, ainda, um "grande abraço de solidariedade".

Ao JN, Cristina Tavares diz ficar "feliz" por ter, "pessoas que me apoiam e me dão força para lutar, ir em frente e não desistir.

O coordenador do Sindicato dos Corticeiro, que promoveu a iniciativa, explica que o espetáculo "enquadra-se nas diversas iniciativas que temos vindo a realizar, porque não queremos que se esqueça este caso".

Alírio Martins afirma que a situação de desemprego de Cristina "vai-se prolongar-se. A estratégia da empresa é ir desgastando a trabalhadora e nós vamos fazendo iniciativas e acolhendo todos os que querem mostra-se solidários", porque, concluiu, "a solidariedade também se faz através da música".

O espetáculo, que será apresentado por Cândido Mota, está agendado para as 21 horas, no auditório da Tuna Musical Mozelense, com entrada livre.