Economia

Bancos reduziram crédito malparado em 8,8% no 1.º semestre - APB

Bancos reduziram crédito malparado em 8,8% no 1.º semestre - APB

Os bancos portugueses reduziram no primeiro semestre deste ano o crédito malparado em quatro mil milhões de euros, o equivalente a 8,8%, segundo dados hoje divulgados pela Associação Portuguesa de Bancos (APB).

No final de junho, o valor bruto de 'non-performing loans' (expressão em inglês para crédito malparado, na gíria financeira) no balanço dos bancos era de 42.262 milhões de euros, abaixo dos 46.361 milhões do final de 2016.

Já o crédito malparado líquido de imparidades (provisões para perdas) era de 22.864 milhões, neste caso menos 2.495 milhões do que no final de 2016, o equivalente neste caso a uma redução de 9,8%.

Quanto ao rácio de crédito malparado, esse era de 15,5% em junho no total dos bancos, abaixo dos 17,2% em dezembro passado, segundo a APB, que divulgou hoje a Síntese de Indicadores do Setor Bancário.

A APB entende por 'non-performing loans' os empréstimos que estejam nas seguintes situações: prestações vencidas há pelo menos 90 dias; que bancos considerem que há grande probabilidade de devedor deixar de pagar, ativos com imparidade (perdas) e crédito em incumprimento.

Quanto a outros dados, a APB deu hoje também conta da redução dos empréstimos totais concedidos pelos bancos para 230.786 no final de junho.

Já os depósitos subiram no primeiro semestre para 246.858 milhões.

A Síntese de Indicadores do Setor Bancário baseia-se em dados do Banco de Portugal, Reuters e da própria APB.