O Jogo ao Vivo

Desporto

COMENTÁRIO: Golo de Carraça garante triunfo do Boavista frente ao Moreirense

COMENTÁRIO: Golo de Carraça garante triunfo do Boavista frente ao Moreirense

Um golo de Carraça bastou ao Boavista para vencer hoje, em casa, o Moreirense (1-0), em jogo da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Com este triunfo, os 'axadrezados' juntam-se ao Belenenses no sétimo posto, com 16 pontos, ao passo que o Moreirense confirma o seu mau momento e mantém-se no penúltimo lugar, com sete pontos

O treinador boavisteiro surpreendeu, porque deixou os pontas de lança Rui Pedro e Leonardo Ruiz sentados no banco e confiou a Rochinha ao papel de avançado móvel, tarefa que o jogador cumpriu razoavelmente.

O Moreirense apresentou-se desinibido e esteve melhor no primeiro quarto de hora, graças a um futebol organizado e desenvolto, ante um Boavista que sentiu dificuldades para ter bola e sair para o ataque.

O conjunto visitante criou a primeira situação de perigo com um remate cruzado de Zizo, aos 12 minutos, e o Boavista respondeu aos 25, quando Rochinha cruzou e Mateus, isolado, desviou para as mãos de Jhonatan, falhando uma ocasião clara de golo.

O Moreirense continuou a dar boas indicações nas suas ações ofensivas, sobretudo pelo corredor esquerdo, e, aos 27 minutos, construiu nova situação e perigo para a baliza de Vagner, após cruzamento de Ruben Lima.

O Boavista procurou contrariar o futebol fluido do adversário através da sua habitual intensidade defensiva e meio-campo, até que aos 29 minutos marcou na sequência de um canto estudado cobrado por Fábio Espinho, em que a bola seguiu diretamente para Carraça e este, de primeira, atirou colocado e sem defesa para Jhonatan.

O segundo tempo começou com o Moreirense dominador, com mais iniciativa e mais bola e a arriscar tudo para chegar ao golo, e o Boavista acantonado no seu meio-campo, na expetativa de um contra-ataque.

Apesar disso, foi o Boavista que, aos 47 minutos, podia ter marcado pela segunda vez, num 'chapéu' mal medido de Fábio Espinho.

O Moreirense prosseguiu a sua busca de um golo, mas correu tantos riscos que desguarneceu a sua defesa e só não sofreu mais golos devido a ineficácia finalizadora dos 'axadrezados', nomeadamente aos 56 minutos, por Mateus, lento, e aos 90+2 por Vítor Buno, que rematou para fora.

A vitória assenta bem ao Boavista, porque, sem fazer uma grande exibição, foi a equipa mais perigosa, lúcida e objetiva, para o que muito contribuiu David Simão e sua grande qualidade técnica, e também porque dispôs de várias ocasiões para construir um resultado mais confortável.

No Moreirense, o médio Tozé terá sido o jogador em maior evidência e o que mais tentou remar contra a maré, mas faltou-lhe a companhia necessária para dar sequência ao seu futebol.