Desporto

COMENTÁRIO: Vitória de Setúbal opera reviravolta, frente a Marítimo com 10

COMENTÁRIO: Vitória de Setúbal opera reviravolta, frente a Marítimo com 10

O Vitória de Setúbal venceu hoje o Marítimo por 3-1, num encontro da nona jornada da I Liga portuguesa de futebol em que começou a perder e operou a reviravolta perante um adversário em inferioridade numérica.

Depois de Gamboa ter colocado os insulares na frente, aos 45+2 minutos, Fábio Pacheco foi expulso, aos 65, e, contra 10, os locais chegaram ao segundo triunfo na prova, com tentos de João Teixeira (78), Gonçalo Paciência (90+1) e João Amaral (90+7).

Com este resultado, os sadinos reencontram os êxitos, após três jogos sem vencer, enquanto os madeirenses desperdiçaram a oportunidade de ultrapassar, à condição, o Benfica e ascender à terceira posição.

Em termos de qualidade, a primeira parte esteve longe de entusiasmar. Pressionados pelos pontos, os da casa acusaram alguma ansiedade, enquanto o tranquilo Marítimo apostou no contra-ataque.

As melhores oportunidades de golo foram criadas pelos insulares tanto em lances de contra-ataque como de bola parada. Piqueti, aos 22 minutos, e Jean Cléber, 40, só não inauguraram o marcador devido a duas defesas atentas de Trigueira.

No entanto, no 'melhor pano caiu a nódoa'. Aos 45+2 minutos, o guardião do conjunto setubalense não segurou um livre direto de Rodrigo Pinho e, na recarga, Gamboa limitou-se a encostar e a dar vantagem aos forasteiros.

Antes do golo, e apesar do ascendente territorial, os sadinos, que tiveram uma contrariedade de última hora - o defesa Nuno Pinto lesionou-se no aquecimento e foi substituído por André Sousa -, raramente incomodaram Charles. Gonçalo Paciência, aos 11 minutos, testou a atenção do guarda-redes num dos raros lances em que o perigo rondou a baliza madeirense.

No segundo tempo, os sadinos entraram mais dinâmicos, com a intenção de reagir à desvantagem no marcador e, aos 65 minutos, o cenário ficou facilitado, já que os madeirenses ficaram reduzidos a 10 elementos devido à expulsão de Fábio Pacheco, que viu dois cartões amarelos em três minutos.

Com mais um jogador, o Vitória de Setúbal 'carregou no acelerador' e quase conseguiu, aos 73 e 77 minutos, a igualdade em remates de Gonçalo Paciência e Edinho, respetivamente, que passaram a centímetros do poste esquerdo da baliza de Charles.

Depois dos avisos, os comandados de José Couceiro, numa fase em que já o justificavam, conseguiram repor a igualdade, aos 78 minutos, num remate portentoso de João Teixeira, após assistência de André Sousa, que entrou, após embater violentamente na trave.

Com a igualdade, os sadinos foram em busca do golo do triunfo. Aos 83 minutos, André Sousa e João Amaral testaram a atenção de Charles.

No primeiro dos seis minutos de compensação dados pelo árbitro, o Vitória conseguiu mesmo operar a reviravolta, num cabeceamento de Gonçalo Paciência, após assistência de André Sousa.

Com o Marítimo desorientado, os sadinos, empolgados, ainda tiveram tempo para dilatar a vantagem, aos 90+6 minutos, quando João Amaral, assistido por Edinho, desfeiteou Charles.