Economia

CORREÇÃO: Família de Nelas investe dois milhões de euros em adega ambientalmente eficiente

CORREÇÃO: Família de Nelas investe dois milhões de euros em adega ambientalmente eficiente

(NOVA VERSÃO PARA SUBSTITUIR, NO TERCEIRO PARÁGRAFO, "INAUGURAÇÃO" POR "APRESENTAÇÃO À IMPRENSA DO PROJETO", CORRIGINDO A INFORMAÇÃO TRANSMITIDA INICIALMENTE PELA FONTE).

Uma família natural do concelho de Nelas decidiu investir cerca de dois milhões de euros numa adega "ambientalmente eficiente", onde poderão encontrar-se "vinhos tipicamente do Dão", feitos "numa perspetiva mais moderna", disse hoje Lígia Santos, da Caminhos Cruzados.

"Este é um projeto familiar, que nasceu à mesa de casa e da grande vontade que tínhamos enquanto família de criar um projeto profissional em Nelas. O investimento na nova adega foi de cerca de dois milhões de euros", revelou.

A apresentação à imprensa do projeto da adega da Caminhos Cruzados, em Nelas, está agendada para segunda-feira, dia em que vai ser também possível provar em primeira mão o vinho tinto topo de gama da marca, o Teixuga, que ainda não saiu para o mercado.

Em declarações à agência Lusa, a responsável da Caminhos Cruzados, Lígia Santos, explicou que esta adega surge em Nelas fruto de "uma vontade da família investir num projeto profissional" onde têm raízes.

"É aqui que temos as nossas raízes, a nossa família e a nossa história", acrescentou.

De acordo com a responsável, nesta nova adega encontram-se condições para criar grandes vinhos.

"Não só temos ótimas condições de vinificação e de estágio, como temos uma sala de provas fantástica que nos permite receber a visita de clientes e mostrar-lhes um pouco mais do nosso dia-a-dia", informou.

Concebida pelo arquiteto Nuno Pinto Cardoso, esta adega tinha, entre várias preocupações, "a preocupação de ser ambientalmente eficiente".

"É, por isso, construída em betão armado, que é um material térmico de grande capacidade de retenção de temperatura, o que faz com que absorva nas suas paredes a temperatura exterior, libertando-a lentamente para o interior, evitando gastos com energia. Também temos ao longo de todo o edifício luz natural através de janelas e claraboias, bem como circulação natural de ar em todo o espaço e ainda sistemas de aproveitamento de água da chuva", referiu.

Quanto aos vinhos, Lígia Santos informou que aqui serão encontrados vinhos tipicamente do Dão e que são "feitos a partir de uma perspetiva mais moderna".

"São vinhos feitos a partir das melhores castas da região, vinhos muito elegantes e com grande potencial de guarda", concluiu.