Desporto

Futebol: I Liga / Portimonense -- Tondela (Declarações)

Futebol: I Liga / Portimonense -- Tondela (Declarações)

Declarações após o jogo Portimonense-Tondela, da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, com vitória dos algarvios, por 2-0:

Vítor Oliveira (treinador do Portimonense): "Estamos muito contentes, pela vitória sobre um adversário direto e por não termos sofrido golos. Foram duas 'vitórias'.

Na primeira parte, fomos muito melhores do que o Tondela. Conseguimos surpreender o Tondela, que teve dificuldade em controlar o nosso jogo ofensivo. Marcámos o golo e tivemos mais duas situações que poderíamos ter materializado. A segunda parte começou equilibrada, mas depois houve um ligeiro ascendente do Tondela, que nos empurrou lá para trás com um futebol direto e de contacto, com o qual costumamos sentir dificuldades. Com as alterações efetuadas, melhorámos substancialmente, fizemos mais um golo e poderíamos até ter aumentado a vantagem, o que seria penalizador para o que o Tondela fez durante o encontro.

Fiquei muito agradado com a nossa primeira parte e os 15 minutos finais, em que estivemos seguros atrás e saímos de forma rápida para contra-ataques que criaram situações de finalização. Satisfeito também por não sofrer golos. Nesse aspeto, queria salientar a exibição do Ricardo Ferreira, que disse presente com duas boas defesas.

Vimos de uma série de jogos sem perder e vamos tentar manter essa série e alargá-la o mais possível. É melhor estar nesta posição do que no fundo da tabela. Pelas exibições que temos feito, poderíamos até ter mais dois ou três pontos. A equipa está a crescer, a evoluir e a ganhar experiência, porque a qualidade tem-se mantido sempre.

A nota mais importante é que o regresso de alguns lesionados aumenta a competitividade no grupo, a nível de treino e jogo. Os jogadores que sentiam que a sua posição podia ser intocável, por ausência de opositor, têm de se manter alerta. Isso aumenta a dificuldade positiva para o treinador na hora de escolher quem vai a jogo. Os jogadores estão a treinar nos limites e muitos que não tinham experiência na I Liga estão a afirmar-se. E no final do campeonato serão muito mais conhecidos até."

Pepa (treinador do Tondela): "As primeiras palavras são para o senhor João Alfarroba [antigo roupeiro do Portimonense, falecido durante a semana], que era uma pessoa querida nesta casa. Deixo essa palavra de sentimento.

Em relação ao jogo, sem tirar mérito ao Portimonense, porque a vitória é justa - estava à espera deste Portimonense, com uma qualidade individual muito acima da média e um treinador com muita experiência -, o que não pode acontecer é darmos 45 minutos de avanço, como fizemos na primeira parte.

Não fomos iguais a nós próprios. Na segunda parte, a perder por 1-0, sabíamos que pior que aquilo era impossível, não era aquela a nossa imagem. Fui bem explícito com os jogadores ao intervalo, dizendo-lhes que podíamos perder, mas tínhamos de sair de cabeça erguida. A equipa esteve completamente diferente na segunda parte, com três oportunidades claras, em que o Ricardo Ferreira faz três boas defesas e acabamos por sofrer um golo quando temos um jogador a menos, que está três ou quatro minutos fora do campo a receber assistência.

Custa muito por ter sido desta forma, mas temos de olhar para nós. Sabemos que podemos fazer isto que fizemos na segunda parte, mas durante 90 minutos. Temos de reagir rápido, mas, independentemente dos pontos, a mágoa que sai daqui é que custaram muito esses 45 minutos. Fomos apáticos e isso paga-se caro quando do outro lado há uma equipa com esta qualidade, que acabou por ser eficaz nas oportunidades que teve."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG