Nacional

Governo: Demissão da ministra é culminar de "problemas constantes" - Liga dos Bombeiros

Governo: Demissão da ministra é culminar de "problemas constantes" - Liga dos Bombeiros

O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses (LBP) afirmou hoje que a demissão da ministra foi o culminar de um "arrastar de problemas constantes", defendendo que agora é o momento de fazer "reformas profundas" no sistema de Proteção Civil.

"Apesar de ser uma pessoa afável e simpática", a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, "já não tinha qualquer controlo sobre tudo o que é a governação desta área da Proteção Civil", disse à agência Lusa Jaime Marta Soares.

Para o presidente da LBP, a ministra mostrou "muitas vezes incapacidade de resposta e de decisão sobre um conjunto de situações" em que era preciso agir.

"Era um constante e permanente adiamento (do inadiável) nas respostas que era, em cada momento, preciso dar, da inovação e das alterações que se tinham de fazer no sistema, e que não foi capaz de fazer", sublinhou.

Na sua opinião, "foi um arrastar de problemas constantes e que, mais tarde ou mais cedo, teriam que vir a dar maus resultados", apesar dos "constantes e permanentes avisos e propostas de alteração" indicadas pelos bombeiros.

Pela "experiência que os bombeiros têm, seriam alterações que poderiam ajudar a encontrar soluções" para a reforma do setor e encontrar "uma estabilidade" que evitasse chegar à situação de rutura a que se chegou.

Agora -- defendeu -- é altura de se alterarem os rostos e "as políticas", fazendo "reformas profundas" no setor.

"Não é só uma mudança de rostos do António, do Manuel ou do José, o que importa é uma mudança, mas uma mudança através de reformas concretas e objetivas do sistema de Proteção Civil em Portugal", sustentou.

Jaime Soares disse esperar que as reformas que o Governo tem que apresentar, que "são da responsabilidade do primeiro-ministro", contemplem as propostas que os bombeiros portugueses têm vindo a fazer ao longo dos anos, para evitar erros como os que "estão a ser cometidos".

"Acabo de sair de uma reunião com o primeiro-ministro, onde dei a conhecer tudo aquilo que são as ideias, as propostas e as reformas que os bombeiros portugueses entendem que devem ser feitas para o setor", contou à Lusa.

Desejou ainda que esta não tenha sido apenas "mais uma reunião" e que as propostas apresentadas possam ser analisadas e tomadas como "um contributo sério" para ter "uma estrutura da Proteção Civil em Portugal à dimensão daquilo que os portugueses merecem".

O presidente da LBP defende a alteração da organização daquela estrutura e a implementação de uma direção nacional de bombeiros autónoma, independente e com orçamento próprio.

Além de uma estrutura autónoma de comando, Marta Soares defende, entre outras propostas, a independência das associações de bombeiros face ao poder político.

A ministra da Administração Interna apresentou um pedido de demissão, que foi aceite pelo primeiro-ministro, anunciou hoje o gabinete de António Costa

Constança Urbano de Sousa diz na carta de demissão enviada ao primeiro-ministro que pediu para sair de funções logo a seguir à tragédia de Pedrógão Grande, dando tempo a António Costa para encontrar quem a substituísse.