Economia

Greenpeace encontra agrotóxicos acima dos limites em 36% dos 12 alimentos mais consumidos no Brasil

Greenpeace encontra agrotóxicos acima dos limites em 36% dos 12 alimentos mais consumidos no Brasil

Uma pesquisa divulgada hoje pela organização não-governamental Greenpeace indicou que 36% dos 12 alimentos mais consumidos no Brasil possuem agrotóxicos acima do limite.

O levantamento, denominado "Segura este abacaxi! - os agrotóxicos que vão parar na sua mesa", destacou a presença de agrotóxicos não permitidos para a produção dos alimentos e em quantidade ou acima do limite máximo permitido pela lei brasileira.

A análise também encontrou um agrotóxico proibido no país.

Segundo a pesquisa, 60% das amostras testadas continham resíduos de agrotóxicos e diversos alimentos testados apresentaram resíduos de mais de um tipo de agrotóxico.

O Greenpeace testou dois tipos de arroz, dois tipos de feijão, dois tipos de banana, mamão, tomate, couve, pimentão verde, laranja e café, que estão diariamente presentes na mesa dos brasileiros.

A organização internacional fez o levantamento como forma de expor e questionar o modelo agrícola brasileiro.

"O uso de Organismos Geneticamente Modificados (OGM), a expansão da agropecuária sobre as florestas nativas, o uso intensivo de agrotóxicos e os impactos socioambientais e climáticos advindos do nosso sistema produtivo têm comprometido o futuro da nossa alimentação e da resiliência do planeta", salienta o relatório.

PUB

"Para além da saúde humana, o uso de agrotóxicos tem graves consequências para o meio ambiente. Os pesticidas impactam o solo, a água, a flora e a fauna ao redor das plantações, e comummente atingem áreas muito além de onde foram aplicados", completou.

A especialista em Toxicologia Aplicada à Vigilância Sanitária Karen Friedrich ressaltou no relatório do Greenpeace que "a ausência de dados abrangentes e frequentes de monitoramento é um fator que privilegia o modelo hegemónico de produção agrícola, ajudando a ocultar os prejuízos para a saúde das pessoas e para a biodiversidade."

Para o Greenpeace, o modelo agrícola predominante no Brasil é altamente impactante e insustentável. Produz muito mais 'commodities' (produtos agrícolas voltados para exportação, como soja e milho) do que comida de qualidade.

Nas conclusões, a ONG destaca iniciativas de parlamentares ligados ao agronegócio brasileiro, principalmente a um projeto de Lei conhecido como Pacote do Veneno, que pode causar um verdadeiro desmantelamento da atual lei de agrotóxicos.

"Boa parte desse conteúdo ainda pode ser acelerado e virar uma Medida Provisória (MP) prometida pelo Governo [do Presidente Michel Temer] à bancada ruralista em troca de apoio parlamentar. A MP dos Agrotóxicos já foi noticiada e pode ser publicada a qualquer momento", conclui o Greenpeace.

A pesquisa foi feita com alimentos comprados entre os dias 11, 12 e 13 de setembro de 2017, em Brasília e São Paulo.

No total, foram enviados para análise 113 quilos de alimentos divididos em 50 amostras, tendo os testes sido realizados pelo Laboratório de Resíduos de Pesticidas (LRP) do Instituto Biológico de São Paulo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG