Nacional

Incêndios: Fogo destruiu 3.130 hectares de floresta na Figueira da Foz

Incêndios: Fogo destruiu 3.130 hectares de floresta na Figueira da Foz

Os incêndios que atingiram no domingo o concelho da Figueira da Foz, distrito de Coimbra, destruíram 3.130 hectares de floresta, a maioria na Mata Nacional de Quiaios, metade da qual ardeu, disse fonte da Proteção Civil municipal.

Em declarações à agência Lusa, Nuno Osório, comandante do Serviço Municipal de Proteção Civil e dos Bombeiros Municipais da Figueira da Foz, afirmou que os dois incêndios registados no domingo - um em Quiaios, que se estendeu a Cantanhede e Mira, e outro na freguesia de Paião, no sul do concelho - queimaram, no total, 3.130 hectares de floresta.

"Em Quiaios, ardeu 50% da Mata Nacional", adiantou Nuno Osório, frisando que se a zona litoral do espaço florestal, entre a povoação de Quiaios e as imediações da praia da Tocha, já no concelho de Cantanhede, acabou por ser poupada pelo incêndio, a zona "mais usufruída pelas pessoas", na faixa central e leste da mata, junto às lagoas das Braças e Vela, sucumbiu às chamas que queimaram quase três mil hectares de floresta.

"Pelo menos temos a certeza que o cordão dunar não avança [para o interior", ilustrou o comandante dos bombeiros, aludindo à faixa litoral que ficou intacta.

Nuno Osório frisou que os dois incêndios não provocaram vítimas nem danos materiais em habitações, com exceção de uma casa que ficou sem telhado por ação das chamas "logo numa fase inicial do incêndio" na localidade de Cova da Serpe, na freguesia de Quiaios e uma autocaravana e uma casa pré-fabricada em madeira que foram consumidas pelas chamas mais a norte, em Morros, freguesia de Bom Sucesso.

Já na envolvente da Lagoa da Vela, as chamas afetaram, inclusivamente, os nenúfares e outras plantas aquáticas das margens, destruindo postes de iluminação ao longo da estrada florestal e equipamentos de apoio dos parques de merendas ali existentes.

Na segunda-feira, em declarações à Lusa, a vereadora Ana Carvalho assinalou a "perda enorme" de biodiversidade decorrente do incêndio que afetou a Mata Nacional de Quiaios e as lagoas, lembrando que aquela zona está incluída na Rede Natura 2000.