Economia

Incêndios: Infraestruturas de apoio das piscinas naturais de Vila Nova de Poiares destruídas pelo fogo

Incêndios: Infraestruturas de apoio das piscinas naturais de Vila Nova de Poiares destruídas pelo fogo

Os incêndios de domingo destruíram em Vila Nova de Poiares, concelho de Coimbra, as infraestruturas de apoio das piscinas naturais da Fraga, junto à Estrada da Beira, disse à agência Lusa o presidente da Associação Empresarial e Comercial.

"Arderam todas as infraestruturas de apoio", frisou Paulo Carvalho.

Os equipamentos, propriedade do município, estavam em funcionamento desde o verão de 2013.

O complexo de lazer da Fraga era constituído por seis piscinas naturais e espaços de recreio e lazer, zonas de sombra, bar de apoio e esplanada.

Segundo o presidente da Associação Empresarial e Comercial de Vila Nova de Poiares, o calor era tanto "que qualquer coisa se incendiava por simpatia".

"Era uma coisa diabólica, tudo o que não estava limpo ardia descontroladamente", sublinhou.

Apesar das chamas terem rondado o parque empresarial, que dá emprego a mais de um milhar de pessoas, nenhuma unidade foi destruída pelas chamas, embora fossem registados alguns estragos.

De acordo com Paulo Carvalho, a fileira florestal e a atividade de árvores de viveiro registou muitos prejuízos, que ainda não estão quantificados.

O dirigente empresarial anunciou que está a efetuar diligências com as forças vivas do concelho para o desenvolvimento de um projeto-piloto de ordenamento florestal.

"Gerir a nossa floresta na Assembleia da República é fácil, mas quem está no terreno é que sofre as consequências", realçou Paulo Carvalho, que pretende ser um agente "ativo na criação de soluções" à escala local.

O presidente da Câmara de Vila Nova de Poiares, João Miguel Henriques, disse na terça-feira que ardeu no concelho entre 70 a 80% da área florestal e 30 a 40 habitações, 10 das quais de primeira habitação.