Desporto

COMENTÁRIO: Aves elimina Rio Ave nos penáltis e garante presença inédita nas 'meias' da Taça

COMENTÁRIO: Aves elimina Rio Ave nos penáltis e garante presença inédita nas 'meias' da Taça

O Desportivo das Aves assegurou hoje, pela primeira vez na sua história, a presença nas meias-finais finais da Taça de Portugal, depois de vencer o Rio Ave, por 5-4, no desempate por grandes penalidades, após um 4-4 no prolongamento.

Numa partida que teve contornos emocionantes e desfecho imprevisível, os avenses chegaram a estar a perder por uma diferença de dois golos aos 88 minutos, mas com uma ponta final plena inspiração, ainda chegaram ao empate, lançaram o jogo para o prolongamento, onde operaram a reviravolta, e apesar de sofrerem novo empate, foram, depois, mais fortes na decisão das grandes penalidades.

Aí, a equipa de Lito Vidigal marcou todos os remates que teve à disposição e viu, no final, o guarda-redes Adriano suster o derradeiro penálti dos vila-condenses, apontando por Bruno Teles, numa intervenção que valeu o apuramento.

Antes, Marcelo (17 minutos), Tarantini (53) e João Novais (75) marcaram os golos dos vila-condenses, com Defendi (49), Amilton (89) e Arango (90) a empatarem para o Aves. No prolongamento, Arango (105) colocou os avenses em vantagem, mas Gelson Dala igualou (114).

Nas meias finais da competição, que se joga a duas mãos, a formação de Vila das Aves já sabe que vai encontrar o Caldas, uma equipa que milita no Campeonato Portugal, e que também hoje eliminou o Farense, por 3-2, após prolongamento

A partida até começou com uma postura expectável das equipas, com os locais a querem assumir a posse de bola e exerceram maior pressão sobre o adversário, e o Aves, com uma linha defensiva mais reforçada, a apostar na contenção e, depois, no contra-ataque.

Nessa toada, as oportunidades junto às duas balizas só começaram a surgir depois do quarto de hora, com dois remates de João Novais e, uma perdida incrível de Guedes, que se isolou, mas, frente a guarda-redes do Aves, atirou lado.

O lance de Guedes acabou, no entanto, por ser o prenúncio para o inaugurar do marcador, esboçado pelos vila-condenses, aos 17 minutos, por intermédio de Marcelo.

Na sequência de um canto, Guedes ganhou ao segundo poste e serviu o defesa central brasileiro do Rio Ave para o 1-0.

O tento da formação da foz do Ave serviu para espevitar os avenses que se soltaram e passaram a surgir mais vezes junto à área vila-condense.

Em duas ocasiões Amilton isolou-se e surgiu em boa posição, tendo inclusive, numa delas, introduzido a bola na baliza de Rui Vieira, mas, em ambos os lances, Carlos Xistra anulou as jogadas, no que pareceram ser más decisões.

Lito Vidigal, técnico dos visitantes, mostrou-se muito agastado com as decisões do juiz de Castelo Branco, e, por alegados protestos, acabou por ser expulso do banco, à passagem da meia hora.

O treinador já não viu uma boa oportunidade da sua equipa para chegar ao empate, ainda antes do intervalo, num cabeceamento de Carlos Ponck, um pouco lado, após cruzamento de Rodrigo Soares.

O período de descanso não conseguiu beliscar a toada de crescimento do Aves, que regressou ao jogo mais pressionante e apostado em recuperar o empate, acabando por conseguir uma reentrada eficaz.

Aos 49 minutos, Rodrigo Defendi, na sequência de um livre apontando por Paulo Machado, corou essa reação dos avenses, restabelecendo a igualdade.

No entanto, a festa dos forasteiros acabou por não durar mais de três minutos, porque no seguinte lance de perigo junto à baliza de Adriano, o Rio Ave recuperou a vantagem, também na sequência de bola parada.

Yuri Ribeiro apontou um canto, Guedes e Marcelo ganharam a bola aos adversários, e Tarantini surgiu para empurrar para o 2-1, aos 52 minutos.

A partida mantinha-se com um ritmo elevado, com as duas equipas a não se conformaram com o resultado. Os vila-condense mostravam-se mais pressionantes na busca do tento do empate, mas não tinham a vida facilitada perante um Aves que, sempre que acelerava na busca de igualdade, criava calafrios.

Com o golo a rondar as duas balizas, acabou por ser mais eficaz o Rio Ave, quando aos 74 minutos quase sentenciou o desafio, numa arrancada de Francisco Geraldes, que serviu João Novais para este fazer o 3-1.

Com cerca de um quarto de hora para o final da partida, a desvantagem do Aves parecia difícil de recuperar, mas nos últimos dois minutos os forasteiros contrariam essa lógica, e ainda tiveram forças para resgatar o empate.

Aos 89, Amilton, de cabeça, após rápida desmarcação, reduziu para o 3-2, galvanizando a equipa para, no minuto seguinte, chegar ao 3-3, num chapéu do recém-entrado Arango a Rui Vieira, que lançou o jogo para prolongamento.

Nesse tempo extra, repetiu-se a emoção, e aos 105 minutos o Aves operou a reviravolta no marcador, quando Arango surgiu na área contrária e, depois de driblar um adversário, bisou, apontando o 4-3.

Apesar de terem apenas 15 minutos para recuperar, os vila-condenses não atiraram 'a toalha ao chão' e no segundo tempo do prolongamento tiveram um 'trunfo' lançado por Miguel Cardoso a fazer diferença.

Gelson Dala, reforço do Rio Ave neste mercado de transferências de inverno, emprestado pelo Sporting, recuperou o empate e relançou a decisões do jogo para as grandes penalidades.

Aí, todos os jogadores revelaram eficácia, até ao último penálti, em que Bruno Teles destoou e rematou para defesa de Adriano, que lançou a sua equipa para as meias-finais da Taça de Portugal.

Jogo disputado no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.

Rio Ave - Aves, 4-4 após prolongamento, 4-5 no desempate de grandes penalidades.

Ao intervalo: 1-0.

No final do tempo regulamentar: 3-3

No final da primeira parte do prolongamento: 3-4.

No final do prolongamento: 4-4

Marcadores:

1-0, Marcelo, 17 minutos.

1-1, Rodrigo Defendi, 49.

2-1, Tarantini, 53.

3-1, João Novais, 74.

3-2, Amilton, 89.

3-3, Arango, 90

3-4, Arango, 105

4-4, Gelson Dala, 113

Marcadores no desempate por grandes penalidades:

0-1, Ryan Gauld.

1-1, Pelé.

1-2, Arango.

2-2, João Novais.

3-2, Nildo Petrolina.

3-3, Nélson Monte.

4-3, Falcone.

4-4, Rúben Ribeiro.

5-4, Falcão.

5-4, Bruno Teles (defende guarda-redes).

Equipas:

- Rio Ave: Rui Vieira, Lionn, Marcelo, Nélson Monte, Yuri Ribeiro (Bruno Teles, 85), Pelé, Tarantini, João Novais, Francisco Geraldes (Óscar Barreto, 82), Rúben Ribeiro e Guedes (Gelson Dala, 113).

(Suplentes: Carlos Alves, Gelson Dala, Bruno Teles, Leandrinho, Gabriel, Óscar Barreto e Marcão).

Treinador: Miguel Cardoso.

- Desportivo das Aves: Adriano, Rodrigo Soares, Rodrigo Defendi, Carlos Ponck, Diego Galo, Nildo Petrolina, Falcão, Paulo Machado (Ryan Gauld, 87), Sami (Falcone, 79), Amilton e Salvador Agra (Arango, 66).

(Suplentes: Marco Pinto, Gonçalo Santos, Ryan Gauld, Falcone, Derley, Mama Baldé e Arango).

Treinador: Lito Vidigal.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Falcão (30), Nildo Petrolina (30), Lionn (30), Pelé (47), Francisco Geraldes (60), Nélson Monte (80), Marcelo (102), Óscar Barreto (109), Falcone (113) e Arango (117).

Assistência: 3.200 espetadores.

ver mais vídeos