Desporto

COMENTÁRIO: Chaves vence Vitória de Guimarães com penálti nos minutos de compensação

COMENTÁRIO: Chaves vence Vitória de Guimarães com penálti nos minutos de compensação

O Desportivo de Chaves venceu hoje em casa o Vitória de Guimarães, por 4-3, em jogo de abertura da 18.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, graças a uma grande penalidade nos minutos de compensação.

Num jogo bem disputado, os vimaranenses marcaram por Hurtado (10 minutos), Raphinha (16) e Tallo (39), já os flavienses beneficiaram os 'bis' de Tiba (44 e 90+6), ambos de grande penalidade, e de Davidson (38 e 44).

Com esta vitória, a equipa de Trás-os-Montes sobe ao sétimo lugar com 26 pontos, somando o oitavo jogo consecutivo sem derrotas, já os minhotos descem à oitava posição, com 23 pontos, e somam a quarta derrota consecutiva.

Para este confronto, Luís Castro fez apenas uma alteração relativamente ao último jogo, substituindo Platiny por William, tal como Pedro Martins que colocou Vigário no lugar de Konan.

Mal o apito inicial soou, Bressan ameaçou a baliza vimaranense, mas o remate saiu por cima.

Logo depois, foi a vez do Vitória de Guimarães de criar perigo com Héldon, em posição privilegiada, a demorar muito tempo e a permitir o corte a Maras.

Muito disputado de lado a lado, foram os forasteiros a inaugurar o marcador, aos nove minutos, com Hurtado, a passe de Raphinha, a não dar qualquer hipótese ao guardião flaviense.

Sem tirar o pé do acelerador, os minhotos mostraram que vinham à procura dos três pontos e Raphinha, isolado por Francisco Ramos e na cara de António Filipe, aumentou a vantagem.

Em desvantagem, Jefferson cabeceou por cima e Tiba viu Douglas negar-lhe o golo, já depois de António Filipe protagonizar uma bela defesa ao defender um remate de Hurtado.

O primeiro golo da equipa da casa surgiu já passava da meia hora, por Tiba, de grande penalidade, após uma falta de Francisco Ramos sobre William.

Com mais posse e bola e, sem surpresas, os comandados de Luís Castro igualaram o marcador com Matheus Pereira a cruzar para a pequena área, onde estava Davidson para fazer o desvio.

Num ritmo absolutamente frenético, os vimaranenses voltaram a colocar-se em vantagem, com Tallo, na cara do guardião, a não falhar.

O Desportivo de Chaves não baixou os braços, nem sequer a pressão, e antes de recolher aos balneários, Davidson bisou na partida e restabeleceu a igualdade, ao cabecear para o fundo das redes.

Na segunda parte, o espetáculo continuou com, novamente Davidson, a atirar ao lado para, pouco depois, Jubal impedir o pontapé de Tiba.

Contudo, o ritmo decresceu, tal como as ocasiões de perigo, e, aos 61 minutos, William cabeceou à figura de Douglas e, apenas aos 84, Sturgeon aproveitou um corte imperfeito de Paulinho para rematar, mas António Filipe estava atento.

Contudo, o jogo voltaria a agitar nos minutos de compensação com Tiago Martins a assinalar grande penalidade a favor do Desportivo de Chaves, depois de recorrer às imagens do videoárbitro, e considerar mão na bola de Kiko.

Na conversão, Tiba voltou a ser chamado e não falhou, selando o resultado final em 4-3, mas ainda antes de recolher aos balneários Platiny, na cara do guardião, atirou ao lado.

ver mais vídeos