Desporto

Futebol: I Liga / Sporting de Braga - Rio Ave (Declarações)

Futebol: I Liga / Sporting de Braga - Rio Ave (Declarações)

Declarações após o jogo Sporting de Braga-Rio Ave (2-1), da 17.ª jornada da I Liga de futebol, hoje disputado em Braga:

Abel Ferreira (treinador do Sporting de Braga): "[Vitórias sobre Boavista e Rio Ave depois da eliminação da Taça da Liga] Foi uma boa resposta, o jogo da Taça da Liga doeu-nos, e a melhor forma de responder é com resultados, organização, recuperar índices de confiança, jogar como uma equipa grande, com a pressão de ter que ganhar, aprender a lidar com essa pressão, isto com uma equipa que é muito jovem, mas que a cada jogo aumenta a sua capacidade competitiva. Foram duas vitórias após um golpe duro, que nos deitou ao chão.

Já houve partidas em que fomos claramente melhores, mas não fomos competentes para fazer mais golos que o adversário, faltou eficácia, porque não é a quantidade de vezes que lá vou, mas a qualidade.

Não quero falar sobre isso [reforços], há lugar para os que estão aqui, vamos analisar internamente, tivemos uma lesão grave do Ricardo Ferreira, vamos ver se olhamos para dentro (equipa B) ou se podemos ter mais recursos, vamos estar atentos.

A saída do Marcelo Goiano foi por lesão. Eu queria ganhar o jogo, o Ricardo Horta já jogou nessa posição e esteve bem. Não basta dizer que queremos ganhar, temos que ser coerentes, a sorte protege os audazes e nós quisemos vencer, podia ter metido um defesa, mas fui à procura de sermos felizes, arrisquei e fomos compensados por esse mesmo risco.

[Provisoriamente, o Braga iguala Benfica, adversário da próxima jornada] É importante ganhar sempre, não interessa o próximo adversário, interessa o de hoje, lutamos pelos quatro primeiros lugares, e em maio veremos.

Metermos o nosso adversário a 10 pontos hoje, era importante, e agora vamos descansar porque temos tido desde o início da época ciclos em que preparámos jogos de três em três dias".

Miguel Cardoso (treinador do Rio Ave): "É óbvio que tenho um sentimento muito claro no final deste jogo: perdemos, mas não saímos derrotados. Hoje demos uma resposta cabal do que tem sido o trabalho dos jogadores do Rio Ave e de um conjunto de pessoas, o de pegar numa ideia de jogo e trabalhá-la ao longo destes meses e expressá-la num estádio dificílimo de jogar, onde os resultados dos últimos anos falam por si, contra uma equipa excelente recheada de bons jogadores.

Os meus jogadores merecem uma palavra de parabéns, mas não saio com satisfação porque não vivemos apensa de talento. Mas é de uma nobreza incrível a atitude do Rio Ave e eu gosto de atitudes nobres. Foi uma exibição brutal de fidelidade ao que somos.

Mas o futebol está cada vez mais como o xadrez em que um momento, um detalhe pode ditar um jogo e isso hoje aconteceu. Mas nada tira o nosso trabalho, hoje levamos muito daqui.

Tenho que estar satisfeito com a primeira volta, mas gostava muito que esta equipa seja lembrada pela forma como joga mais do que pelos resultados.

O nosso objetivo era pontuar para igualar o recorde de pontos do Rio Ave numa primeira volta, que é de 28 pontos, não conseguimos, mas fica o desafio de continuar.

Quando preparo um jogo não olho para os nomes, mas para as suas funções, estes ciclos têm que ser geridos como plantel e não como nomes, faço a gestão do contexto.

O Rúben Ribeiro não é assunto para falar aqui, é um nome mais na equipa, acima de tudo é um homem como os outros e é um jogador do Rio Ave, não me preocupa essa situação".

ver mais vídeos