Desporto

Futebol: Taça de Portugal / Moreirense -- FC Porto (Declarações)

Futebol: Taça de Portugal / Moreirense -- FC Porto (Declarações)

Declarações dos treinadores do Moreirense e do FC Porto, após o jogo dos quartos de final da Taça de Portugal de futebol, que terminou com uma vitória dos 'dragões', por 2-1:

Sérgio Vieira (treinador do Moreirense): "O nosso golo acaba por aparecer tarde, e os golos do FC Porto acabaram por aparecer cedo de mais. O nosso golo acabou por dar uma energia diferente à nossa equipa, mas os golos que consentimos na primeira fase de construção já tínhamos identificado no último jogo [com o Benfica], mas fica a aprendizagem. O golo acabou por vir tarde de mais, mas foi importante para perceber como a equipa tem a capacidade de reagir.

Temos de ser sempre ambiciosos, e tínhamos como meta passar esta eliminatória. Os nossos jogadores também tinham, o clube tinha. Temos, acima de tudo, de continuar a evoluir, porque somos um grupo jovem. Este jogo, como o Benfica, foi mais um processo de amadurecimento, para perceber que têm potencial de ganhar um jogo destes.

Mas este potencial ainda não é qualidade. Só ao fim de muito tempo de trabalho, muitas horas de repetição, talvez na segunda volta, a equipa já possa estar nessa fase. Ficámos tristes por sermos eliminados, mas temos agora um grande objetivo que é subir na tabela do campeonato e garantir a permanência na I Liga.

Acreditei e acreditámos [que podíamos atingir as meias-finais]. Os nossos atletas tentaram até ao último segundo, e, prova disso, foram algumas situações em que chegámos ao último terço, não com oportunidades claras. Entrámos mal, mas fica a atitude de tentar reagir e chegar ao empate.

Neste momento, temos um plantel com muito potencial, não só as primeiras opções que têm jogado no campeonato, como os jogadores que jogaram agora e para a Taça da Liga. Acima de tudo, era importante gerir as opções que temos, dar minutos de jogo a jogadores que estavam a precisar e dar uma indicação forte para o balneário. São jogadores que têm uma qualidade mínima para terem esse desempenho no onze. Cada vez mais temos opções para cada posição.

Não, neste momento, não estamos à espera de nenhum reforço [no mercado de janeiro], a não ser que acontecer alguma coisa anormal, como lesões ou venda de jogadores. É com este grupo que vamos até ao fim e lutar pela permanência na I Liga".

Sérgio Conceição (treinador do FC Porto): "Como nas outras competições, queríamos passar à próxima eliminatória, ou seja, às meias-finais da Taça de Portugal. O objetivo foi conseguido, não com uma brilhantíssima exibição da nossa parte. A Taça, e nós vimos ainda ontem [quarta-feira] um contexto difícil. E também o Moreirense, e este campo é um campo difícil de jogar.

Entrámos bem no jogo, fizemos dois golos. Os dois golos trouxeram falta de intensidade no fim da primeira parte, e deixámos que o Moreirense tivesse mais bola do que o normal, mas sem criar situações de perigo. Alertei ao intervalo que tínhamos de ir à procura do terceiro golo, ser mais intensos, pressionar mais alto.

Tentámos, não igual a tantas outras vezes, mas o Moreirense não foi criando oportunidades de golo. Tivemos duas, três, quatro oportunidades para fazer o 3-0. Não o fizemos. Acabámos por sofrer numa bola parada, e podia-se tornar difícil. O essencial foi conseguido. Os jogadores estão de parabéns, porque conseguimos mais uma meia-final, além da Taça da Liga, e estamos em todas as frentes.

[O Sporting é o principal adversário em todas as competições internas] O campeonato é uma luta a três, e tem o Braga ali perto. Tem o Benfica que é um candidato ao título, tem o Braga que está próximo. Vai haver campeonato e vai ser competitivo até ao final. Na Taça da Liga e na Taça de Portugal, estamos com o Sporting, mas agora o nosso foco está virado para o jogo de segunda-feira com o Estoril, para o campeonato, que é o nosso principal objetivo.

No plantel que eu tenho, em termos de qualidade, não há nada a dizer. Disse também na antevisão do jogo que se vier alguém que seja mais uma solução, tem de ser alguém que tenha algo para dar a mais.

O Brahimi estava com alguma fadiga muscular. Foi melhor tirá-lo do jogo. O Marega acabou o jogo com o Vitória com algumas queixas. Hoje, quando pensei que ele poderia ser mais uma solução, senti alguma fadiga. Não temos tido muitas lesões. Temos feito uma interessante gestão, não só dos jogadores que jogam, mas do departamento médico. Somos uma equipa que fazemos da disponibilidade física uma constante. Mais uma outra solução será bem vinda. Se isso não acontecer, não cai o Carmo e a Trindade, mas era bom.

É o formato que temos [a meia-final com o Sporting a duas mãos]. Temos que o aceitar. É verdade que um dos jogos fica antes do jogo com o Liverpool [da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões]. O calendário é este, temos de disputar. A Taça de Portugal tem uma atmosfera especial. Já tive a oportunidade de ganhar a Taça como jogador, de estar presente [na final] como treinador. É uma competição pela qual tenho um carinho especial e vamos fazer tudo para ganhar, independentemente da sobrecarga de jogos.

O Miguel [Layún] faz diferentes posições com inteligência tática acima da média. Contra o Feirense já tinha entrado para esta posição em que jogou hoje. Depois, teve de baixar um bocadinho com a expulsão do Felipe. Dá-me garantias, fez o golo. Obviamente que por um jogador que anda a lutar pelo seu espaço, entra e marca um golo, fico muito contente".

.

ver mais vídeos