Desporto

I Liga (1.ª volta): Jonas só 'perde' para o melhor Jardel e corre para os 40

I Liga (1.ª volta): Jonas só 'perde' para o melhor Jardel e corre para os 40

O brasileiro Jonas foi a grande figura da primeira volta do campeonato português de futebol, ao concluir a primeira volta com 20 golos, registo só superado nos últimos 25 anos pela melhor versão de Mario Jardel.

Autor de metade dos tentos do Benfica, o veterano internacional 'canarinho' de 33 anos, que só não marcou em duas jornadas, está na 'rota' dos 40 tentos, algo só registado na I Liga por 'Super Mario' e mais três 'lendas': Peyroteo, o 'rei' Eusébio e Yazalde.

Com 17 jornadas cumpridas, é preciso recuar 18 anos, até 1999/2000, para encontrar um jogador com mais golos, precisamente Jardel, que, então, virou com 'espantosos' 25, para acabar com 'apenas' 37, na última época ao serviço do FC Porto.

Nas restantes temporadas em solo luso, Jardel, 'dragão' de 1996/97 a 1999/2000 e 'leão' em 2001/02 e 2002/03, não atingiu os 20 tentos à 17.ª ronda, mas acabou com 36 em 1998/1999 e 42 em 2001/02, conquistando por duas vezes a 'Bota de Ouro'.

Os 37 golos de 1999/2000 poderiam ter-lhe dado um terceiro troféu, mas, nessa época, os tentos na I Liga apenas eram multiplicados por 1,5 e, assim, venceu Kevin Phillips (Sunderland), com 30, multiplicados por dois, num cenário idêntico ao que agora enfrenta Jonas.

O brasileiro do Benfica não 'pode' chegar ao troféu europeu, mas corre por um segundo nacional, depois do conseguido em 2015/16, com 32 golos, 18 dos quais na primeira volta.

A concorrência é forte e numerosa -- o 'leão Bas Dost (melhor marcador em 2016/17, com 34 golos) está a quatro e os portistas Aboubakar e Marega a seis -, mas Jonas está na frente, depois de uma primeira volta em que marcou em 15 das 17 rondas.

O ex-jogador do Valência, clube ao qual o Benfica o foi buscar a custo zero em 2014, apenas não marcou em Chaves, onde o Benfica venceu por 1-0, com um tento nos descontos do suíço Seferovic, e no Dragão, num empate a zero.

De resto, Jonas marcou pelo menos um golo nas 15 restantes rondas, tendo conseguido um 'hat-trick' e três 'bis', numa primeira volta em que foi sempre titular, mas só completou seis jogos, tendo já 'perdido' 66 minutos (mais descontos).

Destaque para o facto de o brasileiro ter conseguido, pelo meio, bater um recorde do Benfica, ao marcar consecutivamente em 10 jornadas, da terceira ('hat-trick' no 5-0 ao Belenenses) à 12.ª ('bis' no 6-0 ao Vitória de Setúbal), quando, a 26 de novembro, superou os 100 golos com a camisola do Benfica -- vai nos 108.

O brasileiro marcou todos os 20 golos na área, cinco de grande penalidade e três de cabeça, sendo que privilegiou o pé direito (12, incluindo os cinco de penálti) ao esquerdo (cinco).

Desde a 11.ª ronda, Rui Vitória trocou o '4-4-2' de há muito, e no qual Jonas se sente mais confortável, jogando nas costas de um ponta de lança, pelo '4-3-3', mas nem isso 'incomodou' o brasileiro, que conta oito golos nas últimas sete rondas.

Mantendo o ritmo, o '10' dos 'encarnados' chegará às quatro dezenas, marca que ninguém consegue desde que Jardel apontou 42 tentos, em 2001/02, pelo Sporting.

Para encontrar mais jogadores com 40 ou mais golos é preciso recuar mais de 40 anos, à década de 70 do século XX, mais precisamente a 1973/74, época em que o argentino Yazalde apontou 46 pelos 'leões', o recorde do 'nacional' luso.

Antes, só os dois maiores goleadores do futebol luso o conseguiram: o 'leão' Peyroteo, em 1946/47, com 43 golos, e em 1948/49, com 40, e o 'pantera negra' Eusébio, que marcou 42 em 1967/68 e 40 em 1972/73.

ver mais vídeos