Economia

Intervenções em postos de carregamento de veículos elétricos concluídas na próxima semana

Intervenções em postos de carregamento de veículos elétricos concluídas na próxima semana

A intervenção em cinco dos postos de carregamento rápido (PCR) de veículos elétricos da Galp deverá estar concluída na segunda-feira, enquanto se espera no "final da próxima semana" o funcionamento normal dos postos da Mobiletric, informou a Mobi.E.

Depois de críticas dos utilizadores à "falta de aviso prévio" sobre as intervenções em PCR dos dois operadores, a empresa gestora da rede divulgou hoje um comunicado precisando as operações e referindo que a informação sobre postos é "sempre atualizada" na página da Internet da Mobi.e.

"A segurança dos utilizadores é a principal preocupação da MOBI.E, S.A. e dos restantes Operadores de Postos de Carregamento, razão pela qual a decisão foi tomada com caráter de urgência e divulgada aos utilizadores", lê-se no comunicado.

O texto refere que a Galp tinha comunicado que desde 23 de fevereiro a utilização dos seus PCR "estava condicionada, nomeadamente na tomada CHAdeMO, mantendo-se as restantes tomadas disponíveis para os utilizadores".

Para garantir a segurança dos utilizadores, na segunda-feira, por razões técnicas, a Galp informou a Mobi.E que iria desligar cinco postos de carregamento, "desde logo essa informação foi disponibilizada no site da MOBI.E, S.A. (www.mobie.pt), assim como foi iniciado o processo de notificação por e-mail a todos os utilizadores".

Em causa estão os PCR de áreas de serviço da A1 (Pombal -- Sentido Sul Norte), da A5 (Oeiras), da A2 (Palmela -- Sentido Norte-Sul e Alcácer -- Sentido Norte-Sul e Sul-Norte) e da A22 (Loulé Sentido Loulé-Vila Real de Santo António e Vila Real de Santo António- Loulé".

Também desde segunda-feira, que os PCR da Mobiletric passaram a "ter as tomadas (CHAdeMO e Combo/CCS) indisponíveis, mas mantendo-se, nestes casos, o posto a funcionar com a tomada Mennekes, com a exceção de Lisboa Campo Grande".

Na lista estão os postos de Braga, Lisboa (Alcântara), Loures, Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia.

"As intervenções serão realizadas, com caráter de urgência, em todos estes postos, iniciando-se já amanhã (quinta-feira) nos postos da GALP, situados nas autoestradas, e tendo conclusão prevista para a próxima segunda-feira (19/03)", segundo a Mobi.E.

"No decorrer da próxima semana serão intervencionados os postos situados nas cidades, da MOBILETRIC, estando prevista para o final da próxima semana a reposição do normal funcionamento dos PCR", acrescenta o comunicado.

A Mobi.e aconselha a consulta da disponibilidade de postos, sobretudo dos rápidos, no seu site face à "reduzida dimensão da rede de carregamento rápido, e a falta de alternativas em muitos percursos".

Em comunicado datado de terça-feira, o conselho direto da Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos (UVE) manifestou o "total desagrado pela forma abusiva com que os operadores da mobilidade elétrica Mobiletric e Galp, decidiram desligar os PCR, por si operados, sem qualquer aviso prévio aos seus clientes e utilizadores da rede pública de carregamento".

Ainda na terça-feira, a Galp respondeu à agência Lusa que se trata de "um problema técnico com os cabos do 'standard' japonês" e que "é necessário mudar os cabos, o que está a ser feito e alguns postos já voltaram, entretanto, a estar disponíveis".

Por seu lado, a gestora da rede, a Mobi.E, publicou um texto, no seu site, com o título "carregamento rápido condicionado". "Por forma a salvaguardar todas as condições de utilização e segurança - por indicação dos operadores Galp e Mobiletric -- informamos que se encontra a decorrer uma ação de manutenção, o que irá condicionar o carregamento rápido em algumas tomadas de corrente contínua (Chademo e CCS)", lê-se.

A Lusa questionou a Mobiletric sobre a situação.