Economia

Lisboa quer empresas de capital de risco espanhol a investir em Portugal

Lisboa quer empresas de capital de risco espanhol a investir em Portugal

O Governo português está a promover o investimento das empresas de capital de risco espanholas em 'startups' (empresas emergentes) portuguesas, em particular nas 'aceleradoras' e 'incubadoras' nacionais.

"Queremos fazer, no futuro próximo, uma iniciativa para levar empresas de capital de risco espanholas a Portugal, para mostrar as boas oportunidades que as nossas 'startups' oferecem", disse o secretário de Estado português responsável pela Internacionalização da economia à agência Lusa.

Eurico Brilhante Dias esteve reunido hoje em Madrid com a Associação Espanhola de Capitais de Risco no âmbito de um périplo de contactos durante dois dias que terminou esta tarde com um encontro com a secretária de Estado do Comércio de Espanha, Marisa Poncela García.

Segundo o governante português, a AICEP - agência responsável pela promoção do investimento e comércio externo - irá apoiar essa "aproximação" do setor de capital de risco espanhol ao "ecossistema português de 'stratups', em particular de algumas aceleradoras e incubadoras".

Nos contactos que manteve em Madrid, Eurico Brilhante também sublinhou que Portugal "reforçou" o seu apoio para que a União Europeia (UE) e o Mercosul (Mercado Comum do Sul formado pela Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai" cheguem a acordo sobre a criação de uma zona de comércio livre entre as duas partes.

"Há avanços nas negociações" que dão "uma janela de oportunidade" para que se assine esse compromisso, disse o secretário de Estado da Internacionalização de Portugal.

Os países da UE e do Mercosul negoceiam há 18 anos (desde 1999) a livre circulação de bens e serviços, sem conseguirem progressos significativos, até agora.

Desde há cerca de um ano que o compromisso está dependente dos avanços nos setores da agricultura e dos produtos láteos.