Economia

Netflix e Fusion fazem série sobre jornalistas no México e os perigos que correm

Netflix e Fusion fazem série sobre jornalistas no México e os perigos que correm

Os perigos que incorrem os jornalistas no México no exercício da sua profissão vão estar em foco na série televisiva 'Tijuana', que vai ser coproduzia pela Netflix e pelo Fusion Media Group.

Depois do êxito da sua coprodução televisiva 'El Chapo', a plataforma digital Netflix e o Fusion Media Group, empresa detida pela televisão norte-americana Univisión, vão fazer mais cinco novas séries.

A primeira destas cinco novas produções intitula-se 'Tijuana', uma série de ficção em castelhano, que começa a ser rodada em março, e que a Univisión estreia nos EUA antes de a Netflix a distribuir para todo o mundo, conforme comunicado divulgado hoje pelo Fusion Media Group.

'Tijuana' está centrada no assassinato do favorito nas eleições presidenciais no México, um crime que leva os jornalistas do semanário 'Tijuana' a investigar una perigosa trama de corrupção.

Daniel Posada, um dos produtores de 'El Chapo', vai ser o principal responsável pela série 'Tijuana' e trabalhar com Zayre Ferrer, criadora do formato.

"'Tijuana' é importante porque este é um momento crucial para falar sobre o que os jornalistas em todo o mundo enfrentam todos os dias ao procurarem a verdade, particularmente no México", afirmou a presidente e administradora-delegada do Fusion Media Group, Camila Jiménez.

Além de 'Tijuana', a Netflix e o Fusion Media Group vão desenvolver mais duas séries de ficção de castelhano e dois documentários em inglês.

'El Chapo', que se estreou no ano passado, foi a primeira colaboração entre a Netflix e o Fusion Media Group, protagonizada por Marco de la O e que narra a vida, a ascensão e a queda do narcotraficante mexicano Joaquín 'El Chapo' Guzmán.