Economia

Programa de cooperação Espaço Atlântico com 84% da dotação até 2020 contratualizada

Programa de cooperação Espaço Atlântico com 84% da dotação até 2020 contratualizada

O programa europeu de cooperação Espaço Atlântico contratualizou 117 milhões de euros desde a sua aprovação, que representam 84% da sua dotação total até 2020, destinada a apoiar projetos desenvolvidos entre cinco estados membros, divulgou a autoridade de gestão.

Com 45 projetos aprovados, este é o primeiro conjunto de iniciativas "que avançam com o apoio dos fundos da União Europeia, através deste programa transnacional", assinala, em comunicado, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), autoridade de gestão do programa Interreg Espaço Atlântico 2014-2020 que, com uma dotação total de 140 milhões de euros, visa financiar projetos de cooperação em diferentes regiões de Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido.

Os projetos que já viram verbas aprovadas e contratualizadas dizem respeito a "investimentos nos domínios da inovação e da competitividade, da eficiência dos recursos, dos riscos territoriais e da biodiversidade, bem como do património natural e cultural", indica.

O programa conta para já com oito projetos liderados por Portugal, que representam uma contratualização de 14,4 milhões de euros, sendo que "a região do Norte participa mais ativamente em quatro projetos, com a Universidade do Minho, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o INL -- Instituto Ibérico de Nanotecnologia e o Município do Porto como entidades coordenadoras dessas parcerias", assinala.

"Em causa estão investimentos relacionados, respetivamente, com as áreas da biotecnologia, geoparques, transferência de conhecimento para as indústrias marítimas e gestão de sítios Património Mundial", sustenta a CCDR-N.

BLUEHUMAN, ATLANTIC-GEOPARKS, ATLASWH e KATMARINE são os quatro projetos do programa europeu Espaço Atlântico coordenados por entidades do Norte de Portugal que captaram já 5,5 milhões de euros.

De entre os projetos liderados por Portugal já aprovados e contratualizados estão ainda o ARCWIND, do Instituto Superior Técnico de Lisboa, com 2,9 milhões de euros para impulsionar a tecnologia de conversão de energia eólica flutuante para o Atlântico, e o iFADO, também do Instituto Superior Técnico, com 2,7 milhões de euros para criar serviços marinhos à escala regional e sub-regional, usando o Atlântico como base de estudo.

Aprovado pela Comissão Europeia em dezembro de 2015, o programa Interreg Espaço Atlântico 2014-2020 financia projetos de cooperação de diferentes regiões de Portugal, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido que partilhem o objetivo do desenvolvimento sustentável e equilibrado do Espaço Atlântico.

O programa tem como Autoridade de Gestão a CCDR-N e conta com um orçamento total, a aplicar até 2020, de 140 milhões de euros do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) para apoiar iniciativas promovidas por entidades públicas ou privadas, em áreas como a aposta na inovação e na transferência de conhecimento para a criação de novos produtos, a promoção de energias renováveis, a gestão de riscos das alterações climáticas e dos efeitos sobre as atividades económicas, bem como a valorização da biodiversidade e dos ativos naturais e culturais.

No anterior quadro comunitário 2007-2013, o programa apoiou 71 projetos com um total de 159 milhões de euros, com Portugal a fazer parte de 69 das iniciativas.

As cinco regiões de Portugal continental estavam já abrangidas pelo programa que, na nova edição, inclui como áreas elegíveis os arquipélagos dos Açores e Madeira.

Os 71 projetos cofinanciados pelos fundos europeus dividiram-se em 28 iniciativas na área da inovação e empreendedorismo, 24 na área do ambiente e valorização de recursos naturais, 12 na área do desenvolvimento territorial e sete na área dos transportes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG