Nacional

"Romeu e Julieta" sujeitos às metamorfoses de um 'cheesecake' na versão do Teatro Praga

"Romeu e Julieta" sujeitos às metamorfoses de um 'cheesecake' na versão do Teatro Praga

A peça "Romeu e Julieta" é levada para a cozinha, pelo Teatro Praga, com as personagens a sofrerem metamorfoses, transformando-se em ingredientes de um 'cheesecake', segundo a versão apresentada hoje à imprensa, no Teatro Maria Matos, em Lisboa.

Coube ao encenador Pedro Penim associar a obra clássica de William Shakespeare - publicada em 1597 - a um bolo brasileiro homónimo, estabelecendo a ponte necessária para justificar uma adaptação, sob o título "Romeu e Julieta - Uma excelente e lamentável sobremesa", em que "o sangue será afinal doce e as armas meros utensílios de cozinha", como frisa o texto de apresentação.

Contudo, o desafio de "utilizar objetos quotidianos para contar uma história (...) é absolutamente dialogante" com a encenação de "Hamlet sou eu", de 2007, por parte da mesma equipa criativa, conforme salienta a atriz Cláudia Jardim, apelidando o projeto de "irmão gémeo mais novo".

O espetáculo "dedicado ao público mais novo" recupera uma fórmula precedente, na qual, apesar do romance entre os dois protagonistas shakespearianos ser visto "como [uma] história de amor idílica", é, simultaneamente, "das mais impróprias para [contar] a um grupo de miúdos", considerando "o texto à luz dos dias de hoje".

Para Cláudia Jardim é o caráter "politicamente incorreto" aliado à narração da peça, através de "uma série de recursos tecnológicos", que fornece a comédia ao material datado do século XVI, sendo que os intérpretes abdicam de "uma pretensão simbólica de atribuir determinada personagem a determinado ingrediente ou objeto".

Optando por respeitar os "passos da narrativa", Cláudia Jardim e Diogo Bento, que faz parte da equipa, apresentam uma proposta pedagógica com o objetivo de abolir questões de género e a "ideia datada de que o amor é uma possibilidade heterossexual", associada à noção de que as personagens femininas estão confinadas a um papel pré-definido.

No fundo, a ação de "Romeu e Julieta - Uma excelente e lamentável sobremesa" trata-se de uma "tentativa de perceber (...) clichés e preconceitos [que] ainda são operativos", mesmo que passem despercebidos [numa] metodologia de aproximação de uma realidade (...) conhecida", concluiu Cláudia Jardim, aquando da entrevista que sucedeu o ensaio de um excerto da peça.

A produção estará em cena para o público em geral - por sete euros - a partir de sábado, prolongando-se até ao próximo dia 29 deste mês, com sessões destinadas aos mais jovens durante os fins de semana, por três euros.