Economia

Trabalhadores do Dia Minipreço em greve na quinta-feira por melhores salários

Trabalhadores do Dia Minipreço em greve na quinta-feira por melhores salários

Os trabalhadores das lojas Dia Minipreço estão em greve de 24 horas na quinta-feira e vão concentrar-se junto da sede da empresa em Oeiras (Lisboa), para reivindicar aumentos dos salários e o fim da discriminação salarial.

"A empresa diz que dialoga e já apresentou propostas que não vão ao encontro das reivindicações dos trabalhadores, ou seja, são diminutas, pelo que os trabalhadores exigem ser respeitados", disse à agência Lusa Isabel Camarinha, dirigente do CESP -- Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal.

Desde o final de 2016 que os trabalhadores da Dia Portugal -- Minipreço/Clarel lutam em defesa das reivindicações que foram feitas à empresa e que "não foram satisfeitas" até ao momento, disse também a responsável sindical.

A luta dos trabalhadores tem-se arrastado. Estiveram em greve ao trabalho suplementar e ao trabalho em dia feriado entre janeiro e junho e prosseguiram a mesma ação de luta a partir de agosto, sendo que continuarão até ao final de dezembro deste ano.

Em 13 de abril realizaram uma greve com concentrações em Oeiras, Porto e Albufeira.

Como a posição da empresa "é de não dar uma resposta digna às nossas reivindicações, vamos fazer uma greve nacional de 24 horas e concentrarmo-nos junto à sede da empresa em Oeiras numa ação de luta e protesto", disse à Lusa a sindicalista, lembrando que os trabalhadores defendem "horários humanizados" que permitam a conciliação da vida profissional e pessoal e o fim do assédio moral.

Procuram ainda que seja aplicado o Contrato Coletivo de Trabalho nas negociações com a empresa.

Na concentração estará presente o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG