Nacional

Valongo, terra da pedra negra, lança I Bienal de Escultura da Ardósia

Valongo, terra da pedra negra, lança I Bienal de Escultura da Ardósia

A I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo vai decorrer de janeiro a maio do próximo ano para "divulgar uma das marcas mais identitárias da terra da pedra negra", indicou o autarca local, José Manuel Ribeiro.

Em causa uma iniciativa que terá a parceria da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP) e da Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos (ESAD) e que contará com a participação da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, estando também envolvidas as principais empresas extratoras de ardósia de Valongo: a Empresa das Lousas de Valongo e a Pereira Gomes.

"É um sonho antigo. Espero que seja a primeira de muitas bienais", referiu à agência Lusa o presidente da Câmara de Valongo que destacou a ligação fortíssima do concelho, Valongo, terra da pedra negra, à ardósia.

O autarca recordou que é neste concelho que está instalado o maior centro de extração de ardósia do país e apontou que a ardósia, além da sua vertente industrial, apresenta potencialidades plásticas diversas, tendo expectativa de que venham a surgir no âmbito da bienal "trabalhos artísticos singulares".

O convite para a apresentação da I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo, que decorre esta tarde no Fórum Cultural de Ermesinde, refere que a organização pretende "gerar um diálogo entre artistas e história local".

Já o autarca acrescentou: "pretende-se dar uma nova roupagem a esta identidade, que resultará do confronto entre arte contemporânea e o património, perscrutando as múltiplas possibilidades associadas a este bem cultural".

José Manuel Ribeiro destacou os "parceiros de prestígio" e o envolvimento das empresas, sublinhando que se trata de uma iniciativa "totalmente nova" num concelho onde a tradição nesta área tem mais e 150 anos estando presente nas freguesias de Valongo e de campo

"Pretendemos trazer artistas e investir na ligação com o meio económico. É uma oportunidade de criar diálogo entre os artistas e a realidade local", disse o autarca.

A I Bienal de Escultura da Ardósia de Valongo terá como patrono o escultor Zulmiro de Carvalho e incluirá residências artísticas, concurso de design de produto, exposições, entre outras atividades.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG