Economia

Vila do Conde investe 4 milhões de euros na criação do Centro Comunitário de Caxinas

Vila do Conde investe 4 milhões de euros na criação do Centro Comunitário de Caxinas

A Câmara Municipal de Vila do Conde vai apresentar sexta-feira o projeto do novo Centro Comunitário de Caxinas, num investimento que ronda os 4 milhões de euros.

O novo edifício e espaços envolventes, que a autarquia vila-condense pretende que sejam "um ponto de convergência e de encontro para a comunidade", serão custeados a 100 % pelo orçamento municipal, e devem começar a ser construídos ainda este ano, tendo um prazo de execução de 24 meses.

O Centro Comunitário, que vai nascer no centro desta zona de Vila do Conde, que acolhe uma das maiores comunidades piscatórias do país, contempla a construção de um edifício polivalente que possa acolher atividades de cariz desportivo, cultural e lúdico.

Para o edifício principal está projetado a criação de campo de jogos interior, balneários, palco e uma zona autónoma destinada a atividades de âmbito social.

Na parte exterior, será criada uma praça que também poderá servir de lugar polivalente de encontro, de estadia e de suporte a eventos públicos ocasionais.

Ainda no espaço exterior está projetada a criação de dois campos de jogos - um com relva sintética, outro de areia - além de balneários de apoio para a atividade desportiva ao ar livre.

Está ainda pensado a criação de um bar exterior com esplanada, um parque infantil e um outro de manutenção física, zonas de descanso e lazer, além de um parque de estacionamento público.

Elisa Ferraz, presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde, que já apontou esta obra uma "das mais emblemáticas" do seu mandato, acredita que este novo Centro Comunitário será "um polo agregador da população de Caxinas".

"Espero que seja um ponto de convergência e de encontro para esta comunidade, que seja, efetivamente, dinamizador de coesão social e de vivências urbanas saudáveis", apontou a autarca.

A presidente da Câmara destacou a polivalência da estrutura, acreditando que vai servir os vários interesses da população.

"Permitirá, por um lado, a prática de diversas modalidades desportivas, e, por outro, a existência de zonas de âmbito social, de estadia, de usufruto e de convívio, sendo um valioso contributo para a união da comunidade, para a melhoria da vida dos seus habitantes, e para o relacionamento entre gerações", concluiu a autarca.

Após a apresentação pública desta sexta-feira, que decorre na Escola Secundária José Régio, às 19:00, a obra será alvo de um concurso público internacional, e terá, ainda, de ser ratificada pelo Tribunal de Contas. A autarquia acredita que durante este ano a parte burocrática ficará concluída e empreitada possa arrancar.

.