acidente

Angélico continua com "prognóstico muito reservado"

Angélico continua com "prognóstico muito reservado"

Angélico Vieira, que sofreu um violento acidente na madrugada de sábado, na A1, em Estarreja, encontra-se em "situação crítica" e com "prognóstico muito reservado". O cantor e actor já foi visitado pela família.

Segundo Paulo Lemos, que este domingo se encontra a chefiar a equipa de Urgência do Hospital de Santo António, no Porto, o estado de saúde de Angélico é crítico e o "prognóstico muito reservado". Fonte hospitalar contactada pela Agência Lusa avançou que o cantor se encontra ligado a um sistema de suporte de vida.

Ontem e hoje, vários amigos e familiares deslocaram-se ao Santo António para tentarem saber notícias de Angélico.

Apesar de não se encontrar consciente, o cantor, que ganhou fama nos Morangos com Açúcar e com a banda D'ZRT, já foi visitado pela família. Vários amigos deslocaram-se também ao Santo António para tentarem saber notícias de Angélico.

Hélio Jonilson Van-Dúnem Filipe, de 25 anos, amigo do artista, foi a única vítima mortal do acidente.

Os outros dois ocupantes do potente BMW (série 6) 635 também ficaram feridos: Armanda Monteiro Leite, de 17 anos, em estado grave, foi transportada para o Hospital de Santo António, no Porto, tal como Angélico; enquanto Hugo Miguel Pinto, de 20, sofreu apenas ligeiras escoriações.

De acordo com o tenente-coronel Rui Barreiros, do Comando Operacional da GNR, citado pela Lusa, Hugo seria o único que viajava com cinto de segurança, apesar de o carro ser descapotável. O automóvel, que era conduzido pela estrela televisiva, tinha sido emprestado pelo dono de um stand da Póvoa de Varzim e não teria seguro.

O acidente, que terá sido originado pelo rebentamento de um pneu, aconteceu pelas 3.15 horas da manhã, a um quilómetro da saída para Estarreja, no sentido Porto-Lisboa. Angélico dirigia-se para a capital, onde iria estar, juntamente com a ex-namorada e actriz Rita Pereira, no espectáculo Morangomania, na praia de Santo Amaro de Oeiras.

A viagem acabaria de forma trágica. O pneu rebentou e Angélico não conseguiu controlar o BMW. O automóvel capotou e Hélio Filipe foi cuspido. Terá batido com a cabeça no rail, sendo colhido, depois, por outro automóvel que seguia logo atrás. Após cerca de 300 metros de cambalhotas, o BMW ficou imobilizado na auto-estrada. Angélico - cujo nome completo é Sandro Milton Vieira Angélico - sofreu um "traumatismo crânio-encefálico muito grave". Foi operado ainda durante a manhã de ontem no Santo António, onde se juntaram amigos e familiares, em desespero. O cantor está em estado crítico e com "prognóstico muito reservado" após nova cirurgia de cinco horas. As próximas horas serão determinantes na luta pela vida.

Carro emprestado por amigo

O proprietário da viatura onde seguia o ex-elemento da banda D'ZRT afirmou, ao JN, que tinha emprestado o carro a Angélico, para este fazer a viagem para Lisboa. "Sou eu que lhe vendo os carros e, como ele não tinha como se deslocar, decidi emprestar-lhe aquele", disse, preferindo omitir o seu nome. De acordo com a mesma fonte, que estivera a jantar com Angélico "até às 22 horas", o cantor tinha estado dois dias em repouso na Póvoa.

A família de Hélio Filipe recebeu a notícia pelas 8 da manhã. A mãe e a irmã, com mais alguns familiares, partiram de imediato para o Porto. Ao JN, Crisanta Vileira, cunhada, explicou que Hélio conhecia Angélico "há vários anos" e que era normal juntarem-se em grupo para viagens de lazer.

Hélio morava em Cascais mas ia frequentemente a casa da mãe, em Unhos (Loures), onde cresceu. Nascido em Angola, estava a terminar o mestrado em Engenharia Informática.

* com Alexandre Panda, Luís Garcia e Sara Oliveira