Média

"JN" é o jornal que mais vende em Portugal

"JN" é o jornal que mais vende em Portugal

O Jornal de Notícias é a publicação de informação geral mais vendida em Portugal neste momento. Regista uma média diária de 120.737 exemplares. Estes são os últimos dados da APCT, referentes a Maio e Junho.

De acordo com a Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação, o JN sobe não só sobe face à circulação paga do período homólogo, como na comparação com os dois meses anteriores, em 24% e 25%, respectivamente. Desde 2004, que o JN não superava a barreira dos 120 mil. 

Na segunda posição, na tabela dos diários, está o Correio da Manhã, anterior líder, agora com 110.521, que resvala 11% em relação ao período homólogo, seguido do Diário de Notícias e do Público, periódicos que partilham, neste momento, a fasquia dos 44 mil, separados por pouco mais de duas centenas de exemplares: DN tem 44.993 mil; e Público 44.737 mil. Numa análise semestral, o CM está à frente com 115 mil, com o JN a registar 106 mil.

Mostram-se animadores os resultados das publicações de informação geral do grupo Controlinveste. Em relação a igual período de 2007 (Maio/Junho), a curva é francamente positiva, sempre acima dos 15%. Para o JN, 24%; DN,  15% e para o 24 Horas, 19%.

Se a lista tiver em conta os semanários, é o Expresso o segundo título com maior número de consumidores. A média de 113. 623 exemplares no bimestre Maio/Junho dá-lhe esse posto.

Neste top mais alargado, há ainda que integrar a Visão (igualmente do grupo Impresa, que detém a SIC), com uma média de 101.344; a Sábado, com 84.821 e o Sol, na linha dos 40.961.

Global Notícias em primeiro

Já a circulação dos diários gratuitos continua a ser comandada pelo Global Notícias (Controlnveste): 195.100 exemplares. O Metro vem logo a seguir, 184 mil; com o Destak (166) e o Meia Hora, nos últimos lugares. Entre as revistas de Viagens,  a Volta ao Mundo, do mesmo grupo, lidera com 20 mil números pagos.

No campeonato dos desportivos, o Record  - também do grupo Cofina, tal como o Correio da Manhã e a Sábado - fixa vendas na ordem dos 74 mil, enquanto o Jogo, da Controlnveste, se situa nos 33 mil exemplares, tendo ambos registado um aumento em relação ao período anterior, de 7% e 6%. Quezília antiga com a APCT faz com que A Bola não seja auditada. No informação especializada, o Diário Económico vende 13 mil e o Jornal de Negócios 7 mil.

É em queda, seguindo a tendência registada no Reino Unido, que estão as revistas destinadas ao público masculino. Os dados de Maio e Junho, traçam uma quebra nas vendas. Apesar de a Maxmen liderar com 44 mil, note-se a descida de 23 % em relação a período homólogo. A FHM segue-lhe os passos, cai 25%, para os 42 mil. A Men’s Health pontua 24 e a GQ 14 mil.

TV7 Dias vence entre iguais

No “ranking” das revistas femininas, que junta a Maria e a Elle, é a primeira destas que lidera confortavelmente. A tradicional Maria vende, em média, 222 mil exemplares e isto por ter perdido 8% em relação a 2007. Happy Woman pontua 107 mil (subiu 31%) e a Activa 76 mil.  Depois de Ana, com 53 mil, vem a Elle (49mil), a Máxima (47mil). Mais lá para trás, encontra-se a Vogue (26mil).

No segmento de Televisão e Jogos, quem lidera é a TV_7Dias (146 mil). Com a Telenovelas (93mil) e a TV Guia (83mil) ainda com lugar no pódio. A TV Mais fica de fora deste, em quarto (65mil).

ver mais vídeos