Média

TV Zimbo conta com parceria da TVI

TV Zimbo conta com parceria da TVI

O arranque da televisão privada em sinal aberto em Angola acontece no próximo domingo com o lançamento do canal TV Zimbo, criado pelo grupo MediaNova em parceria com a portuguesa TVI e a britânica BBC.

O lançamento do canal - cujo nome tem origem num búzio de Angola que serviu de primeira moeda de troca no país - será marcado por uma cerimónia em que estarão os principais responsáveis do governo angolano, do grupo que detém a TVI, a Media Capital, além de várias personalidades públicas de outros quadrantes.

A televisão conta com um total de 310 trabalhadores angolanos, alguns dos quais formados em Portugal, Brasil e África do Sul.

No que respeita à informação, a redacção da TV Zimbo conta com 22 jornalistas portugueses, cuja formação foi assegurada por profissionais da TVI.

Planeado pelo director-geral da TVI, José Eduardo Moniz, na qualidade de consultor da TV Zimbo, a nova estação terá na sua grelha de programação conteúdos informativos, de entretenimento, educativos, "talk shows" e um espaço dedicado ao desporto.

Alguns destes programas serão realizados pela produtora do grupo português, a NBP.

A TV Zimbo faz parte de um projecto maior do grupo MediaNova, que lançou recentemente naquele pais a Rádio Mais e o semanário O País, detendo também a maior gráfica da África Austral e pretendendo somar oito rádios locais.

O primeiro projecto lançado em Angola pela MediaNova, em meados de Novembro, foi o semanário O País.

Dirigido por Luís Fernando, antigo director do diário estatal Jornal de Angola, O País tem 48 páginas a cores e dedica-se a temas como Política, Sociedade, Desporto, Cultura e Internacional.

No final do mês passado, o grupo lançou a Rádio Mais, a primeira emissora privada em Angola, dirigida por José Vieira e com uma grelha composta por noticiários, revistas de imprensa diária, informação de trânsito, reportagens e transmissões de jogos da Liga portuguesa de futebol.

O grupo MediaNova, de capitais angolanos cuja origem não foi revelada, detém ainda a gráfica Damer, situada em Talatona (a sul de Luanda), que tem capacidade para imprimir 75 mil jornais ou similares de 48 páginas por hora.

A empresa, onde o MediaNova prevê investir um total de 26 milhões de euros para a fazer render 30 milhões por ano, só estará a funcionar em pleno em Março de 2009, altura em que vai criar também uma gráfica de segurança para produzir cheques bancários, cartões de crédito e recargas de telemóveis.

O aparecimento do primeiro canal privado de televisão angolano traduz uma maior oferta no sector da comunicação social em Angola, único país lusófono onde não existe liberdade de imprensa, segundo um relatório publicado em Maio de 2007 pela organização não-governamental americana "Freedom House".

ver mais vídeos