Média

Petição pede investigação a investimentos de Rangel

Petição pede investigação a investimentos de Rangel

O advogado da FCB&A Rui Tabarra e Castro defende que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) deve investigar de onde vem o dinheiro para os investimentos no novo grupo de média liderado por Emídio Rangel e Rui Pedro Soares.

Rui Castro é o primeiro signatário da petição pública "Quem financia Rui Pedro Soares e Emídio Rangel?" que já circula na internet e recebeu em poucas horas mais de 50 assinaturas.

Segundo o advogado, é preciso que a ERC averigue em que condições certas empresas ligadas a Rangel e Rui Pedro Soares compraram os direitos de transmissão dos jogos da liga Espanhola, compraram a rádio Europa, preparam um novo semanário e negoceiam a compra dos direitos de transmissão dos jogos do Benfica.

"Essas empresas assinaram compromissos no valor de 12 milhões de euros, mas o investimento total pode ser superior aos 50 milhões de euros. Tudo isto sem que se perceba de onde vem o dinheiro. A MediaPro, anunciada como parceira, tem um passivo superior a 900 milhões de euros e está sob administração judicial", salienta a petição. O advogado refere que Soares é arguido no caso TagusPark e terá tentado comprar a TVI com dinheiros públicos.

De concreto, a ERC autorizou recentemente a aquisição pela Dreamradios, S.A. da totalidade do capital social da Sociedade Franco-Portuguesa, S.A. (Rádio Europa), mas, dado que a Dreamradios não é um operador de rádio (somente o titular do capital social), não está obrigada à identificação nominativa das acções. Emídio Rangel, que faz parte do conselho de administração, não atendeu o telefone até à hopra de fecho desta edição.