Média

Recomendações do grupo de trabalho para o serviço público só serão aplicadas depois de 2012

Recomendações do grupo de trabalho para o serviço público só serão aplicadas depois de 2012

O membro do Grupo de Trabalho para definição do serviço público de comunicação social Eduardo Cintra Torres afirmou, esta segunda-feira, que, a serem aplicadas, as recomendações daquela equipa só serão efectuadas após 2012.

Segundo o crítico, que fez parte do grupo coordenado pelo economista João Duque, uma vez que o plano de sustentabilidade financeira da RTP foi apresentado recentemente para entrar em vigor em 2012, quaisquer recomendações que sejam adoptadas pelo Governo só serão instituídas depois do próximo ano.

O Grupo de Trabalho encarregue de definir o conceito de serviço público de comunicação social defende que não haja qualquer tipo de publicidade nestes serviços, segundo o relatório final entregue esta segunda-feira ao Governo e a que a Lusa teve acesso.

Em simultâneo e entre várias outras propostas, o relatório do grupo de trabalho para a definição do serviço público de comunicação social recomenda o fim da RTP Informação, Memória e a fusão da RTP África e Internacional.

O grupo de trabalho foi criado em Agosto pelo Governo, através de um despacho que estabelecia um prazo de 60 dias para apresentação de um relatório sobre a definição de serviço público de comunicação social.

Coordenado pelo economista João Duque, o grupo de trabalho integrou António Ribeiro Cristóvão, Eduardo Cintra Torres, José Manuel Fernandes, Manuel José Damásio, Manuel Villaverde Cabral e Manuela Franco.

Fizeram ainda parte deste grupo Francisco Sarsfield Cabral, João do Amaral e Felisbela Lopes, que se demitiram, os dois primeiros em Outubro, a terceira a 9 de Novembro.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG