Autárquicas 2013

Bloco defende cedência de espaços devolutos à cultura

Bloco defende cedência de espaços devolutos à cultura

As autarquias devem apoiar a criação artística local e isso passa, no entender do candidato do Bloco de Esquerda ao Porto, por entregar espaços vazios e devolutos a artistas, a exemplo do que é feito na Fábrica da Rua da Alegria.

A Fábrica da Rua da Alegria é propriedade do Instituto Politécnico do Porto, que para ali tem um proheto de uma escola de dança. Enquanto não avança a ideia, o espaço foi cedido pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculos a companhias de teatro e a artistas plásticos.

Pagam um valor simbólico para "condomínio" e têm uma velha fábrica de meias com 14 espaços à disposição para ensaiar, criar e, até, potenciar a companhias externas um lugar para trabalhar.

"A cidade não tem espaços para ensaiar, nem tem espaços para apresentar a produção artística", lamentou José Soeiro, saudando o exemplo da Fábrica, durante uma visita nesta quarta-feira. Ainda que em condições precárias, permite que companhias como A Palmilha Dentada, o Teatro do Frio, a Erva Daninha, ou a Pele produzam espetáculos. Que acabam por apresentar fora do Porto, lamentou Ricardo Constante Pereira, da Palmilha Dentada.

O Bloco defende a devolução do Rivoli a este tipo de produções mas promete lutar por mais salas abertas ao teatro não comercial, de forma a poder enraizar-se o suficiente para criar públicos e sustentar-se.

Imobusiness