O Jogo ao Vivo

Autárquicas 2013

"Independentes são um estorvo"

"Independentes são um estorvo"

O ausente Fernando Paulo, candidato independente a Gondomar que a decisão desta segunda-feira do Tribunal Constitucional afastou da corrida autárquica, foi o tópico de convergência mais evidente entre os três independentes da Área Metropolitana do Porto que, esta quinta-feira, participaram no debate "A política no século XXI: dos cartazes às redes sociais".

José Guilherme Aguiar, candidato a Gaia, Rui Moreira, independente ao Porto, e Guilherme Pinto, atual presidente e candidato a Matosinhos, solidarizaram-se com Fernando Paulo, que também estava convidado para o debate na Universidade Portucalense. O Tribunal Constitucional rejeitou a candidatura do Movimento Independente "Valentim Loureiro - Gondomar no Coração", devido a falhas no processo de recolha de assinaturas.

"Ganhou no campo e perdeu na secretaria. Precisamos de muitos "tweets" e "posts" para que saibam que há consciência cívica na nossa sociedade", disse José Guilherme Aguiar. Já o independente Guilherme Pinto criticou a lei que enquadrou a decisão do Tribunal Constitucional, que defende os interesses dos partidos para os quais os independentes são "um estorvo".

"Percebe-se que alguma coisa está mal. E isto só vai mudar se a vida nos correr bem", disse Rui Moreira.

Os três independentes convergiram também nas críticas que deixaram à Comissão Nacional de Eleições (CNE) e à decisão de multar comentários na redes sociais no dia de reflexão. "É uma ingerência intolerável numa espaço de tertúlia, em que cada um comunica o que quer", disse Rui Moreira. "Estou convencido de que as redes sociais vão reagir", acrescentou.

Consensual para os três independente é também a convicção de que as redes sociais os deixam mais próximos dos cidadãos.