Autárquicas 2012

Corrida a três no Porto com Menezes na frente

Corrida a três no Porto com Menezes na frente

Menezes está na frente na corrida à Câmara do Porto. Mas é Rui Moreira, em segundo, quem tem mais razões para sorrir. Pizarro paga o preço da falta de notoriedade. Carvalho parece ser um valor seguro.

O independente Rui Moreira foi o último dos "três grandes" a iniciar a campanha, meses depois de Luís Filipe Menezes e Manuel Pizarro. Acrescente-se o facto de apenas contar com o apoio explícito do CDS-PP e o apoio implícito de Rui Rio e há razões para o considerar, com 25%, a maior surpresa na sondagem sobre a corrida à Câmara do Porto.

Menezes segue oito pontos mais acima, de acordo com a Eurosondagem. Mas se o primeiro lugar é inequívoco, não deixa de ser um resultado frágil para um candidato com o selo do PSD - as políticas de austeridade não são um bom argumento eleitoral e Menezes corre o risco de ver ainda mais fragilizada a sua base de apoio.

Finalmente, os 33% recolhidos por Menezes estão muito longe, quer do último resultado de Rui Rio no Porto (47,5%), quer da votação conseguida pelo próprio Menezes, no mesmo ano, em Gaia (61,8%). Pouco para o candidato que está há mais tempo em campanha e o único que beneficia de um duplo palco mediático - continua a exercer as funções de presidente da Câmara de Gaia.

Ainda assim, Menezes vai na frente, enquanto Pizarro segue em terceiro lugar. O socialista teria, se as eleições fossem hoje, um dos piores resultados de que há memória no PS. A dez pontos do que conseguiu Elisa Ferreira há quatro anos. Se repetisse esses 34,7%, estaria na frente.

Percebe-se melhor a insistência de Pizarro numa coligação de Esquerda: somados os seus votos com os da CDU e BE, teria 40%, suficiente para conseguir a vitória.

A candidatura de Pizarro é claramente canibalizada pela de Rui Moreira, que lhe retira votos ao Centro; mas acresce a sua própria incapacidade de cativar votos à Esquerda. Ao contrário, Pedro Carvalho, a nova aposta da CDU, soma mais umas décimas do que Rui Sá em 2009. Talvez uma parcela se deva aos reiterados elogios que recebe de Pinto da Costa, provocando a inveja de Menezes e Moreira, tão ansiosos por umas palavras de incentivo do líder do F. C. Porto.

Faltam quatro meses de campanha eleitoral, capaz de provocar mudanças radicais. Basta pensar que a sondagem revela 16,1% de indecisos - suficientes para baralhar os lugares relativos dos "três grandes"; insuficientes para inverter a polarização do próximo Executivo. Quem ganhar vai ter de negociar uma coligação pós-eleitoral.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., nos dias 20,21 e 22 de maio de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho do Porto, e habitando em lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 934 tentativas de entrevistas e, destas, 130 (13,9%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 51,1%; masculino - 48,9%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 18,4%; dos 31 aos 59 - 50,7%; com 60 anos ou mais - 30,9%) num total de 804 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,45%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos