Autárquicas 2013

Costa amplia vantagem sobre Fernando Seara

Costa amplia vantagem sobre Fernando Seara

A confirmar-se nas urnas, o resultado da sondagem do JN sobre as eleições em Lisboa é histórico para o PS. O score de Costa só é superado pelo de Jorge Sampaio, em 1993, numa aliança de toda a esquerda.

De acordo com o estudo de opinião encomendado à Eurosondagem, a reeleição do autarca socialista pode ser um passeio tranquilo, apesar de a direita se apresentar uma vez mais unida. António Costa, que sobe quatro décimas em relação à sondagem publicada pelo JN a 2 de junho, dispõe de uma sólida vantagem de 25 pontos percentuais sobre Fernando Seara. Objetivamente, está em condições de conquistar o dobro dos votos do adversário direto, com equivalente tradução em mandatos (dez contra cinco).

Pese embora o facto de ser volumoso, o previsível triunfo de Costa tem sobretudo significado em termos históricos. Com efeito, supera todos os resultados obtidos pelo PS desde 1976, com candidatura autónoma ou em coligação, exceto o alcançado por Jorge Sampaio na segunda eleição, em 1993. Então, os socialistas concorreram aliados ao PCP, Verdes, PSR e UDP.

A dimensão da vitória não deixará de autorizar leituras políticas, em especial no seio do PS. Caso o partido não obtenha, a nível nacional, uma rotunda vitória, há de crescer a pressão sobre Costa para assumir mais elevadas responsabilidades no PS ou começar, desde já, a preparar uma candidatura à Presidência da República - seguindo, aliás, o percurso, precisamente, de Jorge Sampaio.

Ao perder 2,5% face à sondagem anterior, Fernando Seara pode comprometer de vez as suas ambições de se transferir da Câmara de Sintra para a de Lisboa. Numa fase em que a sua situação não está ainda clarificada - aguarda que, em definitivo, o Tribunal Constitucional se pronuncie sobre o direito a disputar o sufrágio -, um resultado tão desproporcionado pode causar desmotivação das hostes. Ou, inclusive, fricções entre PSD e CDS, os dois principais partidos que suportam a candidatura e apostaram no seu nome para a liderança.

As duas formações políticas mais à esquerda do espetro político saem reforçadas nesta sondagem. No entanto, sendo a base de partida muito baixa, a subida de comunistas e bloquistas pouco mais assegurará do que a eleição dos cabeças de lista, que o primeiro estudo de opinião já prognosticava.

A CDU pode atingir 9%, um resultado melhor do que nas eleições de 2009. O Bloco de Esquerda subiu, entre as duas sondagens de 5,3% para 6,9%. Mas nem João Ferreira, nem João Semedo, se eleitos, influenciarão a governação.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 15 e 16 de julho de 2013.Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Lisboa, e habitando em lares com telefone da rede fixa.Foram efetuadas 965 tentativas de entrevistas e, destas, 140 (14,5%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 51,8%; masculino - 48,2%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 17,8%; dos 31 aos 59 - 48,6%; com 60 anos ou mais - 33,6%) num total de 825 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,41%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos